quinta-feira, 30 de setembro de 2010

1- Simplicidade e Equilibrio - Joyce Meyer Brasil - Parte 1 de 3



Biografia de Joyce Meyer



Joyce Meyer é um testemunho incrível da obra salvadora e dinâmica de Jesus Cristo. Autora reconhecida mundialmente. Seu ensino sobre a palavra de Deus de forma prática tem alcançado milhões de pessoas ao redor do mundo.

Joyce acredita que seu chamado é o de restabelecer os irmãos na fé e diz: “Jesus morreu para libertar os cativos, e muitos cristãos têm pouca ou nenhuma vitória”. Como já viveu essa mesma situação anos atrás e descobriu a necessidade de viver em vitória aplicando a Palavra de Deus, Joyce está capacitada a trabalhar para libertar os cativos e transformar cinzas em beleza. Ela fala abertamente como foi abusada enquando criança, do fracasso de seu primeiro casamento, de sua luta no decorrer dos anos e como descobriu liberdade para viver em vitória através da Palavra de Deus. Sua vida é transparente e seus ensinos práticos alcançam milhões de pessoas diariamente ao redor do mundo.

Através de seu ministério, Joyce já escreveu mais de 70 livros e faz aproximadamente 20 conferências por ano. Contando com o apoio de 8 escritórios: EUA, Austrália, Canadá, Brasil, Inglaterra, Índia, Rússia e África do Sul; em 2004, quase 2,5 milhões de cópias de seus livros foram vendidos, e mais de 1 milhão foram doados em todo o mundo. Seu programa de televisão Desfrutando a Vida Diária é transmitido para uma audiência potencial de mais de 2/3 do globo terrestre, e seu programa de rádio é veiculado em centenas de estações no mundo.
Ela tem o doutorado em divindade, feito na Universidade Oral Roberts em Tulsa, Oklahoma, e é Phd em Teologia da Universidade da Vida Cristã em Tampa, Flórida. Em fevereiro de 2005 foi honrada sendo incluída pela Revista Time entre os 25 líderes evangélicos mais influentes nos EUA.

fonte  http://www.joycemeyer.com.br/jmbrasil/engine.php?pag=br_cont&br_sec=1&br_cat=1&br_cont=1

Coragem: o segredo para uma vida vitoriosa

 Quando um ser humano perde dinheiro, perdeu muito; quando perde um amigo, perdeu mais; mas, quando perde a coragem, perdeu tudo!

Para ter êxito na vida, o ser humano necessita desenvolver qualidades e atitudes especiais.

Uma pessoa que confia que Deus está no controle de seu viver desempenha bem qualquer tarefa designada pelo Senhor. Ela possui em alto grau a combatividade, que lhe confere resistência, coragem e determinação para romper barreiras que dificultem suas conquistas; irradia esperança, alegria e bom humor, contagiando aqueles com os quais convive.

Quem busca uma vida bem-sucedida segundo os princípios divinos mantém o equilíbrio, pois desenvolve o fruto do Espírito (Gl 5.22), está sempre pronto para ajudar e para dizer uma palavra amável, gestos apreciados pelos que o cercam.

Essa pessoa não permite que pensamentos negativos penetrem sua mente, assim como o apóstolo Paulo aconselhou em Filipenses 4.8. Paulo entendia o segredo de uma vida positiva. A semente começava em sua mente. Portanto, tenha cuidado com o que povoa seus pensamentos.

A atitude de uma pessoa frente às circunstâncias depende da maneira como ela as encara. É o que observamos em Provérbios 23.7: Assim como você pensa na sua alma, assim você é (adaptação da autora).

Veja em você uma pessoa escolhida, amada, valorizada e chamada por Deus para cumprir Seu desígnio na terra. Não se deixe abater pelas adversidades. Os obstáculos devem motivá-lo a lutar e acreditar em sua vitória.

Uma pessoa que crê em sua vitória tem no rosto um sorriso de otimismo. Seus lábios não pronunciam palavras de derrota. Em Provérbios 18.21 está escrito: A vida e a morte estão no poder das palavras (adaptação da autora). Que a sua boca seja um canal para profetizar as promessas de Deus. Quem confia no Senhor mantém o espírito tranquilo, animado, e não é egoísta. A confiança em Cristo reflete a determinação nos propósitos.

Porém, há pessoas que não têm esperança. Consideram que a vida tem mais derrotas do que vitórias. Para elas, saúde é exceção, e doença é coisa normal. Pior, essas atitudes são repetidas dentro das famílias, e, infelizmente, algumas não querem mudanças. Desejam segurança espiritual, emocional, física e material, mas não lutam para conquistá-la.

O ser humano deve compreender que o seu destino está em suas mãos. Independente de ter sido ou não o responsável pelas suas derrotas no passado, faça como o apóstolo Paulo: esqueça o passado, prossiga para o alvo (Fp 3.14 ? adaptação da autora). Seja persistente, corajoso, e tome decisões que o levem a uma vida melhor.

Para se sentir realizado nas áreas espiritual, emocional, física e material, é fundamental ter coragem para dizer não à mentira, à inveja, ao egoísmo, à preguiça, ao desânimo, à incredulidade, à falsidade, à falta de perdão, à prostituição, ao adultério, ao legalismo, ao mau exemplo, ao ciúme; coragem para admitir erros, aceitar críticas construtivas e adotar novos métodos de conduzir a vida, desfazendo-se de hábitos nocivos. É preciso ter coragem para aprender a relacionar-se e ser quem você é, não quem gostaria de ser.

Seja uma pessoa corajosa. Deus não nos tem dado o espírito de covardia, mas de poder, amor e de equilíbrio (2 Tm 1.7 ? adaptação da autora).


Drª Elizete Malafaia – Psicóloga, terapeuta de família, formada em Teologia e coordenadora do Grupo de Terapeutas Cristãos

Ele me levou ao deserto…

Espiritualmente o deserto tem muitos significados, quase todos são de provas e lutas, porém mais que isso, entendemos ser um lugar que durante a vida cristã, somos convidados por Deus a dar um passeio por lá.
É como se fosse um estágio na nossa formaçã espiritual, uma matéria na universidade que Deus tem, e os matriculados, somos nós.
O texto de hoje, encontramos em Gênesis cap 16, vers 7,8 e 9.
7. E o anjo do SENHOR a achou junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur.
8. E disse: Agar, serva de Sarai, donde vens, e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai minha senhora.
9. Então lhe disse o anjo do SENHOR: Torna-te para tua senhora, e humilha-te debaixo de suas mãos.
O que exatamente você pensa quando ouve a palavra deserto? Embora eu nunca ter estado em um, vem em minha mente uma situação de eu estar lá sentindo muito calor e sede. Pra você é assim também? Sabemos que no deserto as condições metereológicas não são somente altas temperaturas, podem ser baixíssimas também, além de que acontecem tempestades de ventos e areia, logo entendemos ser um ambiente instável e de condições extremas.
Nossa personagem principal de hoje, é uma mulher egípcia chamada Agar. Logo por estar nesse contexto, ser egípcia lhe colocava na condição de serva, ou se preferir, simplesmente uma escrava. Não era ela o foco do plano de Deus, ela poderia ser classificada como uma mera coadjuvante ou talvez, nem mencionada na história de Abraão e Sara, Deus não estava tratando aqui com a história dessa mulher, nem a convidou para que participasse do seu plano em levantar uma grande geração de filhos ao casal, mas claro que por sua permissão, surge a figura dessa mulher num ato precipitado e equívoco de Sara e Abraão. E surge também, a demostração de amor e zelo que Deus tem pela humanidade, através do exemplo de cuidado que teve por essa mulher.
Abraão e Sara você sabe, estavam esperando a promessa de ter um filho, mas os anos passaram, o filho não chegava, Sara era estéril e pra piorar, Abraão estava velho , então resolveram dar uma ajudinha a Deus, decidiram que Agar deveria ser a “Mae de aluguél” para esse tão desejado herdeiro. Decisão tomada, veio a ordem, e aqui fico imaginando a situação dessa serva(…)
Devia ser uma mulher humilde e sem muita expressão, entrava na sala de seus senhores quieta e saia calada, se ocupava nos afazeres do dia sem criar muita intimidade com sua senhora, cozinhava, lavava, talvez não era a única serva da casa, e se assim fosse, tinha algo que chamava a atenção de Sara e que a fazia diferente das outras servas, muito embora Sara nunca demostrou ou falou nada sobre alguma qualidade notável da escrava, o fato é que Sara andava muito pensativa por aqueles dias, e Agar sempre lhe vinha a lembrança quando a idéia era ver uma criança correndo nos corredores da casa ou brincando em volta a fazenda.
Quanto a Agar, ninguém perguntou a sua opinião sobre idéia de se deitar com seu patrão a fim de dar-lhe um filho, ninguém se preocupou se a índole da escrava poderia ser ferida, ou poderia sentir-se apenas como um objeto de uso na procriação atendendo assim o desejo de seus donos. Ela era apenas uma criada, uma serva, e não tinha qualquer direito de achar que sim ou que não, em outras palavras, era vista como alguém sem vontade própria, sem desejos ou sonhos, era como uma peça de xadres nas mãos do jogador que é movida de lugar quando ele bem entende. E assim foi feito.
A idéia de Sara era simples e objetiva; Agar deveria engravidar, ter uma gestação saudável, e após o parto entregar a criança para que o casal criasse.
Penso que durante os meses que se passaram, Sara pensava no prazer te ter a criança nos braços, ver a promessa de Deus cumprida, educar o menino, ensinar ele a ser um homem direito, amar a Deus e dar continuidade na geração prometida.
Essa era a parte teórica do planos, mas Sara não havia pensado na parte prática, e nessa incluia a mãe, talvez era difícil pra Sara incluir a serva nos dias futuros com a criança, penso que era impossível ela pensar nisso, pois se antes de tudo não pensou na vontade de Agar em participar daquele projeto, porque pensaria em algo tão distante? lá no futuro? Mas as coisas não eram bem assim… Agar tinha sentimentos e uma personalidade fortíssima, e sobre isso eu quero falar…
Era algo novo para aquela mulher ver sua barriga crescer…penso que como para toda a mulher, era emocionante sentir a criança mexer, imagino os momentos solitários em seus aposentos, ela deitada em sua cama olhava para para a parede como se fosse o infinito, com a mão na sua barriga ela pensava,(…) como será o rostinho? terá semelhanca com abrãao? imaginava as mãozinhas, os cabelos, a boquinha, e um sorriso lhe saia dos olhos…era o sentimento mais singelo do ser humano que se chama; Amor de Mãe!! imagine você que Deus ao referir-se a esse amor diz;
Pode uma mãe esquecer-se de seu filho, porém Eu nao me esquecerei de ti, esse ” PODE” Deus aqui usa como algo absurdo ou uma difícil possibilidade, uma extrema situação que venha a acontecer, uma mãe esquecer-se de quem gerou. Partindo deste princípio, imagine o problema que esse vínculo de amor iria gerar na relação de Agar, Sara, Abraão e o menino…
Mas esse, é assunto para o próximo post…(!)
Em Cristo,
por Eliseu Soares articulista do Gospel Prime

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Bancários entram em greve em todo país por tempo indeterminado

Bancários de todo o país decidiram entrar em greve a partir desta quarta-feira, após assembleia realizada na noite de terça-feira. Uma das reivindicações da categoria é por melhores salários. O pedido era de um aumento de 11%, mas a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) rebaixou para 4,26%. Além disso, os trabalhadores pedem melhores condições de trabalho, valorização do piso e maior participação nos lucros e resultados.

Em nota no site do Sindicato dos Bancários, a presidente do Sindicato, Juvandia Moreira, afirmou que "os bancos viram o lucro crescer mais de 28% somente no primeiro semestre deste ano. Mas não querem pagar salários maiores, melhorar as condições de trabalho e de atendimento à população. Por isso, estamos exercendo nosso direito legítimo de greve".

A categoria aguarda outra proposta da Fenaban e fará nova assembleia na próxima sexta-feira para decidir qual rumo tomar.
Portal Fiel » Notícias »0 Fonte: SRZD
Publicado em 29 de Setembro de 2010

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Fernanda Brum e Marcus Salles (Quatro por um) - Outra Vez

Relacionamento Amoroso, Auto-estima e Felicidade:



Nestes dias estava pensando em qual assunto escrever e me deparei com relacionamento amoroso. Isto por que uma das maiores queixa de consultório é o tal do amor.

Andrew Solomon no livro “Depressão: o Demônio do Meio-Dia” define Depressão como fracasso no Amor. Será que é tudo isto?
Primeiro, temos que perceber que existem pessoas que são extremamente dependentes do afeto, da atenção, da opinião do outro. Como será que elas se enxergam?

Afinal, auto-estima: auto = eu + estima = valor.
Assim, qual o valor que dou a mim mesmo? Mas, infelizmente vejo muitas pessoas com outro-estima, ou seja, apenas preocupadas com o que as pessoas acham dela.

Algumas pessoas se submetem as situações constrangedoras por que não tem auto-estima e colocam o outro como um Deus. (leiam o post da Janaína: “ A Supervalorização do Ser Amado: Cadê eu?)

Relacionamento Amoroso é importante sim... Mas, você pode ser feliz com um namorado, um marido, um caso eventual...Isto não é o fato mais importante da sua vida! Na verdade, você deve ser feliz e o relacionamento amoroso te deixa MAIS FELIZ.

Até por que vejo muita gente casada ou com relacionamento sério vivendo um inferno. Relacionamento serve para facilitar a sua vida! E não para atrapalhar! E é apenas uma esfera de sua vida. Cadê o resto? Hobbies, Amigos, Religião, Profissão, Esporte. Imagine a sua vida como uma grande pizza: cada pedaço é uma esfera de sua vida. Como ela está dividida? Só tem duas grandes fatias: vida profissional e vida amorosa? Vixe, alguma coisa está errada...

Por que? Porque você coloca todas as suas expectativas nestas duas áreas apenas. E se por acaso isto não der certo? Como você vai ficar? Daí, você corre o risco de cair em depressão nestas horas... Isto por que perdeu várias habilidades sociais: desaprendeu a conversar, a paquerar, a se cuidar, a dar valor nos amigos, a ter uma vida profissional, etc. Meninas, o primeiro marido da gente é o emprego!

Outra coisa: algumas pessoas na ânsia de estar namorando procuram qualquer pessoa, sem definir alguns critérios. A escolha amorosa deve ser RACIONAL. Casamentos que dão certo ocorreram não por que fulano é bonitinho, um amorzinho, etc e tal. E sim por que ele tinha características importantes para ela, ou seja, estava dentro do perfil definido mesmo que inconscientemente.

Por outro lado, não é pra ficar escolhendo demais, senão você corre risco de ficar pra titia...rs. Mas, é preciso saber o que você pode/consegue tolerar. Por exemplo, fulano de tal preenche meus critérios: bom moço, educado, ambicioso, boa profissão, família legal, etc; MAS bebe uma água e deixa o copo no meio da sala, toma banho que nem pato deixando o banheiro encharcado. Você consegue tolerar? Arruma uma boa empregada doméstica e manda bala...

Mais uma coisa: a bibliografia nos diz que existem dois tipos de casais:
a) os alma gêmeas: gostam das mesmas coisas, fazem tudo junto...
b) os diferentes: um gosta de praia o outro de campo, um gasta muito e outro e controlado.

E aí? Qual dos dois? Na verdade, tanto faz... O primeiro tende a encher o saco do outro e se saciar, mais ou menos com taxa de validade. E o segundo tem que ficar negociando o tempo todo, ou seja, as brigas tendem a ocorrerem com mais freqüência. O que tem que ser igual são os princípios MORAIS. Afinal, isto
ninguém negocia!

Por fim, temos que pensar numa felicidade real e não numa baseada em filmes de Hollywood e novelas da Globo.Termino com uma frase de Norman Lear: "A vida é composta de prazeres pequenos. A felicidade é composta desses pequenos sucessos. O grande vêm muito raramente. E se você não colecionar todos estes pequenos sucessos, o grande realmente não significará qualquer coisa." Boa Semana a Todos!

Luciana Brasil - Psicóloga clínica com formação em Análise do Comportamento e especialização em Cognitivo-Comportamental – Serena Psicologia

Supervalorização do ser amado: Cadê eu?



Tenho recebido no consultório psicológico um grande número de pessoas frustradas sentimentalmente. Isso se deve a um exaustivo investimento de energia na área sentimental. Geralmente são pessoas que centralizam suas vidas no parceiro(a). Se dedicam ao extremo à pessoa amada, em consequência esperam a recíproca do investimento, o que geralmente não acontece na mesma proporção.

Existe um ideal romântico socialmente compartilhado das relações amorosas. Muitas pessoas chegam com a crença de que em nome do amor, tudo vale. Se submetem a situações em que são desvalorizadas. A auto-estima cai ainda mais.
A questão é que essas pessoas parecem ficar viciadas na atração pelo mesmo perfil, um companheiro(a) que não valorizará a relação. Sem uma boa auto-estima o relacionamento amoroso seja com a pessoa que for ficará comprometido.

Existem características que se repetem nas histórias de pessoas que supervalorizam o ser amado e esquecem de si mesmas. Geralmente as mulheres são mais afetadas que os homens. Abaixo constam algumas características do perfil feminino (por Robin Norword), embora se observe que também se aplica nos casos masculinos:

1. Vem de um lar desajustado, em que suas necessidades emocionais não foram satisfeitas.

2. Como não recebeu um mínimo de atenção, tenta suprir essa necessidade insatisfeita através de outra pessoa, tornando-se superatenciosa, principalmente com homens aparentemente carentes.

3. Como não pode transformar seus pais nas pessoas atenciosas, amáveis e afetuosas de que precisava, reage fortemente ao tipo de homem familiar, porém inacessível, o qual tenta, transformar através de seu amor.

4. Com medo de ser abandonada, faz qualquer coisa para impedir o fim do relacionamento.

5. Quase nada é problema, toma muito tempo ou mesmo custa demais, se for para "ajudar" o homem com quem está envolvida.

6. Habituada à falta de amor em relacionamentos pessoais, está disposta a ter paciência, esperança, tentando agradar cada vez mais.

7. Está disposta a arcar com mais de 50% da responsabilidade, da culpa e das falhas em qualquer relacionamento.

8. Sua auto-estima está criticamente baixa, e no fundo não acredita que mereça ser feliz. Ao contrário, acredita que deve conquistar o direito de desfrutar a vida.

9. Como experimentou pouca segurança na infância, tem uma necessidade desesperadora de controlar seus homens e seus relacionamentos. Mascara seus esforços para controlar pessoas e situações, mostrando-se "prestativa".

10. Está muito mais em contato com o sonho de como o relacionamento poderia ser, do que com a realidade da situação.

11. Tem tendência psicológica, e com freqüência, bioquímica a se tornar dependente de drogas, álcool e/ou certos tipos de alimento, principalmente doces.

12. Ao ser atraída por pessoas com problemas que precisam de solução, ou ao se envolver em situações caóticas, incertas e dolorosas emocionalmente, evita concentrar a responsabilidade em si própria.

13. Tende a ter momentos de depressão, e tenta prevení-los através da agitação criada por um relacionamento instável.

14. Não tem atração por homens gentis, estáveis, seguros e que estão interessados nela. Acha que esses homens "agradáveis" são enfadonhos.

Janaina Bahia
Psicóloga - Serena Psicologia; professora de Psicologia da religião e aconselhamento cristão da faculdade de teologia FATADEB.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Dr. Myles Munroe (1-10) Redescobrindo os Mandamentos do Reino

Pregação, desejo e motivo. Um alerta para os jovens pregadores numa cultura narcísica e na sociedade do espetáculo

 
"Com frequência, tem acontecido que alguns jovens com determinados dons, ao ouvirem um grande pregador, sentem-se cativados por ele e pelo que ele está fazendo. Ficam atraídos por sua personalidade ou por sua eloquência, deixam-se comover por ele e, insconscientemente, começam a sentir o desejo de ser semelhantes a ele e de fazer o que ele está fazendo. Ora, isso pode estar certo, mas pode estar inteiramente errado. Os jovens podem ficar fascinados somente pelo encanto da pregação, atraídos pela ideia de ministrarem a Palavra a audiências e de influenciá-las. Todas as formas de motivos falsos e errôneos podem se instroduzir sorrateiramente. A maneira de nos precavermos desse perigo é perguntar-nos: por que desejo fazer isso? Por que estou preocupado com isso? E, a menos que descubramos um interesse genuíno pelas pessoas, pelo seu estado e condição e tenhamos desejo de ajudá-las, estaremos corretos em duvidar de nossos motivos." (D. Martyn Lloyd-Jones)

O texto acima foi publicado originalmente em 1972, na obra intitulada Preaching and Preachers, traduzida para o português sob o título "Pregação e Pregadores", pela Editora Fiel. Apesar dos trinta e oito anos passados desde a sua primeira publicação, ele se mantém indiscutivelmente atualizado.

Há na atualidade, de formar clara, o risco de muitos jovens desejarem seguir carreira como pregadores, motivados pelos aspectos estéticos da pregação, e pela sensação de poder que ela provoca. Como bem colocou Lloyde-Jones, o interesse genuíno em ajudar as pessoas é que deve ser a razão central, o motivo único deste desejo.

Uma outra questão cabe aqui ser abordada. Muitos pregadores na atualidade, estão influenciando negativamente os mais jovens, pelo fato de que os motivos que o levaram ao ministério da pregação, terem uma relação direta e estarem sob a influência da chamada cultura do narcisismo e da sociedade do espetáculo.

Narciso, de onde se deriva o termo narcisismo, segundo a mitologia grego-romana, era um jovem de incomparável beleza. Ele pensava, em razão disto, ser semelhante a um deus. Como resultado de seus pensamentos, Narciso rejeitou a afeição de Eco, uma bela jovem até que esta, desesperada, definhou, deixando apenas um sussurro débil e melancólico. Para dar uma lição ao rapaz frívolo, a deusa Némesis condenou Narciso a apaixonar-se pelo seu próprio reflexo na lagoa de Eco. Encantado pela sua própria beleza, Narciso deitou-se no banco do rio e definhou, olhando-se na água e se embelezando. Outras versões dizem que enquanto caminhava pelos jardins de Eco, ele descobriu a lagoa de Eco e viu o seu reflexo na água. Apaixonando-se profundamente por si próprio, inclinou-se cada vez mais para o seu reflexo na água, acabando por cair na lagoa e se afogar.

A conceito de cultura do narcisismo, pode ser compreendido através da breve exposição sobre o tema, feita pela Dra. Ana Almeida em seu blog:

"A sociedade actual estimula a cultura do narcisismo. Cada vez mais competimos de forma acirrada por um “lugar ao sol” num mundo em que impera a lei do mais capaz e do sucesso ou da aparência dele. As exigências de sucesso provocam um enorme desgaste. As pessoas sentem-se obrigadas a atingir metas idealizadas e a ultrapassarem a qualquer custo as suas limitações. Instala-se um conflito entre o “eu idealizado” e o “eu real” que nos leva a desenvolvermos a crença de que valemos mais pelo que temos ou aparentamos ser do que pelo que realmente somos. A ânsia de reconhecimento faz com que a aparência tenha um enorme valor; quando somos confrontados com a diferença entre aquilo que pretendemos ser e aquilo que somos verdadeiramente a nossa auto-estima sofre, e esta diminuição da auto-estima torna-nos vulneráveis à depressão."

Sobre a sociedade do espetáculo, e comentando a obra A Sociedade do Espetáculo, de Guy Debord, José Arbex Jr. escreveu no livro Showrnalismo: a notícia como espetáculo (Editora Casa Amarela, São Paulo, 2001):

"O espetáculo – diz Debord – consiste na multiplicação de ícones e imagens, principalmente através dos meios de comunicação de massa, mas também dos rituais políticos, religiosos e hábitos de consumo, de tudo aquilo que falta à vida real do homem comum: celebridades, atores, políticos, personalidades, gurus, mensagens publicitárias – tudo transmite uma sensação de permanente aventura, felicidade, grandiosidade e ousadia. O espetáculo é a aparência que confere integridade e sentido a uma sociedade esfacelada e dividida"
Como bem coloca Joel Birman no livro Mal-estar na atualidade: A psicanálise e as novas formas de subjetividade, a cultura do narcisismo e a sociedade do espetáculo enfatizam a exterioridade e o autocentramento. Dessa forma, em se tratando de pregação e pregadores, o motivo e o desejo ficam comprometidos, visto que as necessidades do outro deixam de ser relevantes e de terem primazia, na mesma proporção em que as necessidades do próprio sujeito, norteadas pelo pensamento, sentimento e desejo narcísico, mediante o exibicionismo espetacular, ganham exclusividade.

O outro se torna objeto de mero usufruto do sujeito narcísico, lhe servindo apenas como instrumento para o incremento da auto-imagem, mediante a manipulação através dos meios de comunicação de massa, e de uma forte ênfase na estetização da pregação, em detrimento do legítimo, salutar e bíblico propósito da pregação, e da verdadeira e bíblica razão de ser e fazer do pregador.

Apesar do triste e atual quadro, percebo mudanças no cenário evangélico nacional, onde vislumbro a restauração da verdadeira pregação bíblica, realizada por pregadores santos e vocacionados por Deus para esta privilegiada missão, movidos pelos mais nobres e excelentes motivos, e desejosos de proporcionar o bem maior ao seu próximo, ou seja, a sua salvação, libertação, restauração, transformação, edificação, consolação e exortação, tendo como base e fundamento a Bíblia Sagrada.
 
 fonte: Portal Fiel
autor:
Pr. Altair Germano Teólogo, pedagogo, escritor, Relator do Conselho de Doutrina da União de Ministros das Assembleias de Deus no Nordeste (UMADENE), Coordenador Pedagógico e Professor da Faculdade Teológica da Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE (http://www.altairgermano.net/)


domingo, 26 de setembro de 2010

Menina vietnamita fala de sua fé

Jovem se converte e pais processam o pastor Publicado em 24 de Setembro de 2010 Fonte: Missões Portas Abertas

ÁSIA   - Um seminarista do primeiro ano, sustentado pela Gospel for Asia, defendeu a si e a outro cristão local em um processo judicial provocado por seus próprios pais.

Harjit Yadav escolheu receber a Cristo após ouvir Jigar Khan, um cristão sustentado pela Gospel for Asia, falar do evangelho. Mesmo sendo um jovem cristão, sentiu o chamado do Senhor para ir ao seminário.

Quando os pais de Harjit deram conta de que seu filho dedicava sua vida a Jesus, enviaram um de seus irmãos para levá-lo à força para casa. No entanto, ele fugiu e voltou para o seminário.

No dia seguinte, 18 de julho, os pais frustrados de Harjit abriram um processo contra o pastor Jigar, acusando-o de subornar seu filho para se tornar um cristão. Muitos estados no Sul da Ásia têm o que é conhecido como leis de "liberdade religiosa". Estas leis anti-conversão tornam ilegal forçar alguém a mudar sua fé. Elas também tornam ilegal o suborno em troca de uma confissão de fé. As leis são usadas quase que exclusivamente contra pastores e obreiros.

Harjit foi a principal testemunha no processo judicial contra Jigar, e foi forçado a voltar para casa e comparecer em juízo. Durante o caso, ele afirmou claramente que fez a escolha de se tornar cristão por si próprio e que ninguém o obrigou.

Até o fechamento desta notícia, o tribunal local não tinha dado o veredito.

Harjit e Jigar compartilham pedidos de oração:

• Ore para que Harjit fique firme no Senhor, mesmo enquanto enfrenta oposição e seja capaz de retornar aos seus estudos.

• Ore para que o Senhor trabalhe no coração do líder da vila, e para que a situação se resolva em breve.

• Ore para que a família de Harjit seja atraída para Cristo.

• Ore para que mais pessoas experimentem o amor redentor de Cristo através do ministério de Jigar.

Tradução: Carla Priscilla Silva
fonte POrtal Fiel

O elo - pt 1 - Nova Ordem Mundial - Sistema Híbrido

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Proposta de proibição sobre a conversão de outros continua


NEPAL (*) - Um grupo legislativo no Nepal propôs manter uma proibição sobre a conversão de outros na nova Constituição do país.

O Parlamento ainda precisa decidir sobre a proposta, mas adiantou que os líderes cristãos temem essa aprovação, dado que o maior partido político do Nepal, liderado pelo ex-rebeldes maoístas, simpatiza com os desejos de tal proibição do rei deposto. O país está forjando uma nova Constituição, como parte de sua transição de uma monarquia hindu para uma democracia.

O bispo Narayan Sharma, da Igreja cristã, disse esperar a aprovação da proibição, tal como recomendado pelo Committee on Fundamental Rights and Directive Principles (Comitê dos Direitos e Princípios Fundamentais da Diretiva), o CFRDP. O relatório de setembro da Comissão de Liberdade Religiosa da Aliança Evangélica Mundial disse que um anteprojeto da CFRDP apresentado ao Parlamento do Nepal penaliza ações destinadas a incentivar os outros a se converterem, apesar de não punir os indivíduos pela conversão.

A presidente da CFRDP, Binda Pandey, disse ao Compass que a proposta do grupo que ela fazia parte era definitiva.

"Apresentamos o projeto à Assembléia Constituinte, e não há mais projetos a serem apresentados", disse ela. "Agora a Assembléia tem que tomar uma decisão."

Perguntada se a proposta viola as convenções internacionais, como o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual o Nepal é signatário, Pandey disse que o comitê analisou "todas as convenções", bem como "o contexto próprio e único sócio-político do Nepal” antes de chegar o consenso.

Pandey é do Partido Comunista do Nepal (Marxista-Leninista Unificado).

O bispo Anthony Sharma, o primeiro nativo nepalês ordenado como padre jesuíta, disse que a proposta do grupo não alterará as atividades cristãs da congregação.

"Nós não temos medo e continuaremos o que estamos fazendo, seja ela uma Constituição hindu ou um secular", disse ele. "A conversão é por Deus, as pessoas simplesmente respondem a Ele. Nossa filosofia é: "Nós propomos e não impomos. "O crescimento da igreja no Nepal é devido ao testemunho cristão, e não apenas através da pregação."

O Rev. Dr. Mangalam Mahajan, presidente da Igreja Koinonia, disse que estava esperançoso de que a nova constituição iria levar as mesmas disposições na Constituição indiana, que permite a livre prática profissional, e a propagação da religião - embora alguns estados indianos tenham leis "anti-conversão" que proíbem a conversão forçada ou fraudulenta.

"A restrição afetará o trabalho cristão no Nepal", disse Mahajan.

Embora a proibição de incentivo a conversões esteja em vigor há mais de cinco décadas, não está claro como isso poderia ser interpretado e implementado à nova Constituição. Os cristãos temem que grupos nacionalistas hindus façam confusão para restrição a proibição de reuniões públicas e trabalhos sociais que poderiam ser suspeitos de estarem destinados a conversões.

"Somente aqueles que estão dispostos a pagar o preço continuarão", disse o bispo da Igreja cristã, Narayan Sharma, quem não se surpreende com a proposta de continuação da proibição. "É surpreendente, apesar de, o social Nepal ser muito progressista - os casamentos homossexuais são legais - quando se trata de religião, torna-se conservador."

As igrejas no Nepal formaram a Christian Constitution Recommendation Committee (Constituição de Recomendação da Comissão Cristã), que enviou há dois anos suas propostas - quase idênticas às disposições da liberdade religiosa na Constituição da Índia - à AssembLÉIAS
FONTE PORTAS ABERTAS.
Tradução: Carla Priscilla Silva

* Este país não se enquadra entre os 50 mais intolerantes ao cristianismo.

Fonte: Compass Direct

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

O poder da doação

 Há quem dê generosamente, e veja aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza. O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros alívio receberá (Pv 11.24-25)

Quero compartilhar um conto que li certa ocasião.

Um próspero fazendeiro se tornou famoso por sua abundante plantação de milho. Todos os anos, no concurso da melhor plantação, ele era sempre o primeiro colocado. No setor de milho era imbatível. Certo dia, um repórter foi entrevistá-lo:

— Qual é o segredo do seu sucesso? Como seu milho pode ter uma qualidade tão boa a ponto de ser o melhor da região?

— Bem, o segredo está em compartilhar a semente de qualidade com meus vizinhos plantadores de milho — respondeu o agricultor.

— Mas, como, se o senhor distribui suas sementes de qualidade para que os seus concorrentes tenham um milho tão bom quanto o seu? — tornou a indagar o repórter.

— Sim! Esse é o segredo de eu ter sempre um milho de qualidade, pois o vento carrega o pólen do milho maduro e leva-o de campo em campo. Se meus vizinhos cultivassem milho inferior, o vento carregaria o pólen do milho deles para o meu milharal, e, assim, a qualidade do meu milho cairia. Portanto, é impossível eu ter milho de qualidade se os meus vizinhos também não o tiverem — explicou o homem.

Moral da história: Tudo o que você partilha voltará um dia para você. Reflita sobre o que você tem partilhado do muito que Deus lhe tem dado: vida, saúde, paz, amor, alegria, unção, recursos financeiros e fé.

Precisamos adquirir o hábito de doar aos outros como se fosse ao Senhor. Isso requer abençoar os outros sem esperar nada em troca, pois tal atitude bendiz a Deus. Quando pensamos no que vamos receber em troca, caminhamos rumo à frustração e ao desapontamento, mas, quando doamos livremente, o Senhor nos recompensa.

Doar é um princípio de liberação. Dai e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos darão; porque com que medirdes também vos medirão de novo (Lc 6.38).

Para receber coisas que perdurarão, é necessário você doar do que tem. Se você está precisando de liberação em alguma área, doe; dê algo que lhe pertence. Entregue sua vida a Deus, e você verá as portas se abrirem em todas as áreas.

Há muito mais o que doar, além de dinheiro e presentes. Podemos doar comida, roupas, prestar serviços voluntários, dedicar tempo para abençoar alguém, orar pelo próximo, assistir aos necessitados, dar uma carona, conversar e ouvir alguém que não tem com quem falar. Precisamos doar-nos, compartilhando qualquer coisa que nos pertença, ou uma habilidade que tenhamos e que seja bênção para outras pessoas.

Saiba que não há como cumprir a vontade de Deus sem doar-se, pois esta é a vontade do Senhor. Ele é o nosso maior exemplo de doação. Doou o que tinha de melhor, o Seu único Filho, Jesus Cristo. Portanto, crie o hábito de doar, pois a doação libera as bênçãos de Deus em todas as áreas de nossa vida e frutifica para nossa geração.

Faça esta oração:

“Querido Deus, ajuda-me a doar da maneira como tu queres, pois quero ser obediente também nesta área da minha vida. Ajuda-me a ser dizimista fiel, ofertante liberal e a doar sempre com alegria. Ajuda-me a viver no centro da tua vontade, para que eu possa receber tudo aquilo que tens para mim e tornar-me tudo aquilo para o que me criaste para ser. Em nome do teu amado Filho, Jesus Cristo.”

Deus quer usar você como um grande doador para fazer a diferença e ser abençoado!
FONTE SITE MULHER VITORIOSA

Mesmo ameaçado de morte, missionário deseja ficar em comunidade


O pastor Galav Yadav foi fiel discipulador de uma próspera comunidade cristã, mas o seu ministério tem atraído a atenção negativa por parte das forças anticristãs.

Em 01 de maio, a polícia prendeu o pastor Galav depois de aldeões terem apresentado uma queixa contra ele, acusando-o de forçar as pessoas a se converter ao cristianismo. Deus respondeu às orações, no entanto, a polícia liberou Galav na mesma noite.

Moradores continuam a se oporem à obra. Eles ameaçaram matá-lo se ele não abandonasse o seu ministério e deixasse a vila.

Os cristãos que o pastor Galav pastoreou o apoiaram. Eles o encorajaram a continuar em frente.

Por favor, orem para o seguinte:
• Proteção para o pastor Galav e sua família.
• Salvação para aqueles que se opõem ao pastor Galav, incluindo o líder da aldeia.
• Força espiritual para os fiéis da aldeia.
fonte: Portal Fiel

terça-feira, 21 de setembro de 2010

RITOS DE PASSAGEM NA RELIGIÃO!

. Mas o que vema  ser essa tradição?  “Rites de Passage” é uma expressão francesa que foi adotada por antropólogos e escritores europeus para definir todos os rituais e cerimônias que propiciam a passagem de uma pessoa para uma nova forma de vida ou um novo status social. Esses rituais são ações que se repetem em um grupo e ajudam os indivíduos a organizarem a vida e a darem-lhe um significado, por constituírem atos que se repetem durante gerações. Os ritos de passagem acontecem em todas as religiões. O que muda são as formas de execução, o significado e o significante continuam o mesmo.
            Os ritos de passagem podem ter caráter religioso  marcando mudanças de status de uma pessoa na comunidade. Nas sociedades primitivas, aconteciam cerimonias  especiais, conhecidas como ritos  de iniciação  ou ritos de passagem. As cerimônias, representavam uma transição do indivíduo, e  a sua progressiva aceitação e participação na sociedade  na qual ele vivia. São os ritos de nascimento, a chegada à idade adulta, o casamento e a morte.
            Podemos citar como exemplo, o nascimento de uma criança era considerado antigamente um ato divino, presenciado, assistido e celebrado apenas por mulheres (parteiras, sacerdotisas) com cantos, orações e invocações das Deusas “responsáveis” pela gestação e o parto.
              Os ritos de passagem acontecem ainda hoje, mesmo na sociedade em que vivemos, nos grupos religiosos que algum de nós participamos, acontecem, a sua maneira os ritos de passagem. No judaismo: a circuncisão; no cristianismo: o batismo, a primeira comunhão, o crisma; nas religiões afro: iniciação ou feitura de santo.
              A sociedade participa com seus ritos, desconfigurando totalmente o caráter religioso dos atos como é o caso de um nascimento, de um batismo de criança, aniversário de quinze anos ou mesmo umcasmento. A questão agora é a ostentação em detrimento as questões religiosas que esses atos simbolizam.
                Nas questões religiosas, essas cerimonias, no entanto, marcavam desprendimento da vida humana, como acontece em uma conversão cristã, algumas atitudes eram abandonadas e novas deviam ser aceitas. A convivência com algumas pessoas era deixada para trás e esse indivíduo passava a conviver com outros grupos de pessoas. Em algumas dessas cerimonias, o indivíduo podia trocar até de nome, exemplificando que aquela pessoa não mais existiria.
               Alguns desses ritos deixaram de existir, outros perpetuam-se inclusive na sociedade em que vivemos, apesar de que, alguns desses ritos não levam em conta a questão simbólica e a tradição dos mesmos.
                No continente africano encontramos diversos tipos de ritos de passagem, alguns pode parecer bizarros, mas estão inceridos em dada cultura. No Brasil, os indíginas ainda mantém suas tradições de seus ritos de passagem.
Retirado do livro NOTAS SOBRE RELIGIÔES COMPARADAS   de João Bosco de Sousa
OS ÍNDIOS ALGONQUINOS       

                     Os garotos desta tribo indígena canadense eram levados para uma área separada do restante do povo, e eram enjaulados. Lá, eles recebiam uma dose de uma substância chamada de wysoccan, altamente alucinógena e quase cem vezes mais forte que o LSD. A intenção do ritual era fazer com que os garotos esquecessem todas suas lembranças da infância, para que pudessem se tornar homens. O problema do ritual é que a força da substância é tão grande que muitos garotos perdiam a memória da família e da própria identidade, e alguns até mesmo paravam de falar. Os garotos que mostravam que ainda lembravam coisas da sua infância eram levados para tomar o wysoccan novamente.      
O SALTO DOS VANUATU       

                  Este ritual serve como um rito de passagem e como um ritual de colheita das tribos da ilha de Vanuatu, no Oceano Pacifico. Os garotos das tribos têm que subir em uma torre de 30 metros de altura com cipós amarrados nos tornozelos e se jogar, a uma velocidade de cerca de 72 quilômetros por hora. Quando o “mergulho” é feito corretamente, o garoto deve encostar os ombros e a cabeça no chão. Entretanto, os cipós não são elásticos e um cálculo errado do comprimento da corda pode causar ferimentos sérios ou até mesmo a morte do garoto no ritual, que é feito com meninos de cerca de 7 ou 8 anos.
O SALTO DE VACAS DOS HARMAR

               Este ritual é realizado pela tribo dos Harmar, na Etiópia, e é feito antes que os homens possam casar. O participante tem que pular por cima de vacas colocadas lado a lado quatro vezes sem cair. O teste é feito com o garoto nu, como um símbolo da infância que ele deixa para trás, e, se passar no teste, o garoto passa a viver com outros homens que passaram no mesmo teste, e fica durante alguns meses supervisionando as vilas do território do seu povo.
A TRIBO OKIEK  

                O rito de passagem desta tribo do Quênia é igual para homens e mulheres, e é feito com adolescentes de 14 a 16 anos. A iniciação começa com a circuncisão dos órgãos sexuais, e depois os participantes ficam separados de adultos do sexo oposto de quatro a 24 semanas. As pessoas que participam o ritual têm que se pintar com argila branca e carvão, para ficarem com uma aparência selvagem, e passam a receber conhecimento dos anciãos. Para completar o ritual, as pessoas têm que fazer o som de um instrumento que reproduz o rugido de uma criatura mística que assombra aspessoas durante a iniciação.
              A circuncisão geralmente é feita com uma lâmina velha e suja que deixa os jovens propensos a infecções.  
              A circuncisão feminina consiste na remoção do clitóris o que deixa a maioria delas incapaz de sentir prazer durante o sexo para o resto da vida. Caso elas se recusem a passar pelo rito são isoladas do resto da tribo.
FESTA DAS MOÇAS NOVAS   
             Esta festa de iniciação é realizada pela tribo Tukuna, que vive na região norte da Amazônia. As garotas começam a participar da iniciação quando menstruam, e ficam durante 4 a 12 semanas em reclusão em um local construído na casa da família com este único propósito. Durante este período, acredita-se que a menina é está no submundo, correndo perigo na presença de um demônio conhecido como Noo. Ao final do ritual, outras pessoas utilizam máscaras e se tornam reencarnações do demônio, e a garota fica durante dois dias com o corpo pintado de preto para se proteger do Noo. Na manhã do terceiro dia, ela pode sair da reclusão, e é levada por parentes para as festividades, em que dançam até o amanhecer. Neste momento, a garota recebe uma lança de fogo e deve jogá-la sobre o demônio. Depois disso, a tribo considera que a mulher pode entrar para a vida adulta com segurança.
A TRIBO OKRIKA

                    Esta tribo nigeriana realiza o ritual Iria com as garotas, para que elas entrem na idade adulta. Jovens entre 14 e 16 anos são levadas para locais em que recebem alimentos pesados para engordar. Elas também aprendem as canções tradicionais do ritual, que cantam durante vários dias durante o amanhecer. As pessoas da tribo acreditam que as garotas podem formar ligações amorosas com espíritos aquáticos, e por isso têm que cantar as músicas tradicionais antes de poderem casar. No último dia do ritual, as garotas passam próximas à água, com uma mulher mais experiente para levá-las para longe dos espíritos, que querem pegá-las de volta.
OS ABORÍGINES MARDUDJARA      

                  Estes aborígenes australianos levam os garotos de uma certa idade à reclusão, onde eles são segurados por um ancião, enquanto outro retira o prepúcio do pênis do garoto sem anestesia. Depois disso, o garoto se ajoelha sobre um escudo próximo a uma fogueira e tem que comer a própria pele crua, sem mastigar. Após isso, ele se livrou da criança, e se torna um homem completo. Depois que a circuncisão termina de cicatrizar, os homens sofrem outra intervenção cirúrgica: o pênis é cortado na parte inferior, próximo aos testículos, e o sangue que escorre deve cair sobre uma fogueira, para purificá-lo, e depois da incisão, têm que se abaixar para urinar, como as mulheres.
A TRIBO DOS SATERE-MAWE          

                  Esta tribo amazonense realiza um ritual de iniciação com garotos que pode ser considerado um dos mais dolorosos da nossa lista. Os jovens da tribo têm que colocar as mãos dentro de uma espécie de luva cheia de formigas-bala, cuja mordida é quase 20 vezes mais dolorida que a de uma vespa. Os garotos têm que dançar com as mãos dentro da luva durante dez minutos, e a dor é tão intensa que o corpo sofre com convulsões, e a dor pode durar até 24 horas. O mais inacreditável é que os homens da tribo repetem este ritual várias vezes durante a vida, para provar a sua masculinidade.
A CAÇADA DOS MATIS

                      A tribo dos Matis, que vivem na floresta amazônica brasileira, realiza quatro testes com os garotos, para que eles mostrem que podem participar das caçadas com os outros homens. Primeiro, os garotos recebem veneno diretamente nos olhos, para supostamente melhorar a sua visão e aguçar os sentidos. Depois, eles são espancados e recebem chicotadas, para depois receber a inoculação do veneno de um sapo venenoso da região. A tribo acredita que o poderoso veneno do animal aumenta a força e a resistência, o que só acontece depois que o participante do ritual sofre com fortes enjôos, vômitos e diarréia. Quando os garotos passam por esta terrível seqüência de testes, são considerados aptos a participar das caçadas da tribo.
A TRIBO SAMBIA

                     A iniciação dos garotos desta tribo de Papua Nova Guiné começa aos sete anos, quando eles são levados para longe de todas as mulheres, e passam a viver somente com homens pelos próximos dez anos. Durante o início do ritual, a pele dos garotos é furada, para que as contaminações das mulheres sejam retiradas, e eles têm que sangrar pelo nariz (foto acima, a direita) para se limparem. Os garotos também têm que consumir cana de açúcar para estimular o vômito e a defecação, com o mesmo propósito. Após a “limpeza” do corpo, eles consomem sêmen, considerado vital para que eles cresçam e fiquem fortes.
                    Durante o processo, os garotos são informados sobre as impurezas femininas e seus perigos, e aprendem técnicas de purificação. Quando se casam eles se purificam freqüentemente contra as impurezas da esposa. Eles realizam sangramentos intensos pelo nariz toda vez que a mulher menstrua. No último passo do ritual de iniciação, os jovens têm que remover um pêlo pubiano e entregá-lo para um homem mais velho, que irá colocá-lo no lugar apropriado. Durante este estágio, o homem explica ao garoto que ele não deve ser promíscuo na sua relação heterossexual, senão será executado.
 Fonte: Hypeschttp://joaobosco.wordpress.com/2010/05/06/ritos-de-passagem-na-religiao/ience

Carpe Diem:Suspenda o a priori ( perdão)

A suspensão do a priori (experiência primeira, vivida anteriormente) consiste em se disponibilizar para viver uma experiência nova. Ainda que a experiência tenha sido vivenciada anteriormente se pode se disponibilizar para vivê-la como se fosse a primeira vez.

Temos dificuldade de perdoar as pessoas e muitas vezes nos perdoar, isso mesmo, muitas vezes devemos o perdão a nós mesmos por nos permitir passar por situações dolorosas que poderíamos ter evitado. Outras vezes devemos o perdão à vida e talvez pudéssemos pensar que em alguns momentos, devemos o perdão a Deus. Ora, quantas vezes parecem termos feito tudo tão certo, conforme manda o figurino e, no entanto parece que o próprio Deus se esqueceu de nós. Isso me lembra a historinha chamada pegadas na areia, mais isto é assunto para outro texto.

Já dizia o filósofo Heráclito de Éfeso que ninguém atravessa o mesmo rio duas vezes, as águas do rio já não seriam as mesmas e nem você seria a mesma pessoa. O problema é que não nos damos conta disso, pensamos prever tudo, com isso a espontaneidade e a criatividade ficam embotadas. Basta nos deparar com uma situação nova, o quanto geralmente ela nos incomoda.

Exemplo disso é a situação de crise. A crise nos empurra para uma mudança forçada, esse é o lado bom dela, a mudança. Infelizmente não a vivemos focados no lado bom. Bom seria que todos nós pudéssemos vislumbrar o lado colorido da vida até mesmo nas situações mais dolorosas. Muitas vezes precisamos de alguém ou mesmo de anos para sermos capazes de enxergar.

Voltando à suspensão do a priori, não é fácil, é um exercício diário. Por exemplo, convivemos com as mesmas pessoas diariamente, dentro da mesma casa, com o tempo deixamos de nos olhar, de nos perceber. Daí quando tiramos um tempinho para olhar um álbum de família nos assustamos com o quanto as coisas mudaram. As roupas são de outro estilo, o corte de cabelo mudou, e os rostos das pessoas estão sem as marcas do tempo. Precisamos nos observar com amor, nos olhar...

Quando uma pessoa não consegue falar bem em público é porque ela não consegue suspender o a priori. Provavelmente ela está presa a experiências passadas que lhe marcou uma baixa auto-estima, ou a uma experiência em que não obteve sucesso ao falar em público. Quando ela se disponibiliza ela coloca a experiência ruim entre parêntesis e se atira a uma nova experiência com a confiança necessária para que dê certo. E se der errado, novamente ela coloca entre parêntesis o passado e de repente as coisas começam a dar certo e a dar certo...

Suspender o a priori é permitir que sejamos emocionados facilmente, que nos encantemos novamente com as rosas daquele jardim que vemos todos os dias, é não nos prender a uma experiência ruim do passado e, mais do que isso, é nos permitir viver uma experiência boa, uma vida nova...


Janaina Bahia – Psicóloga - Serena Psicologia; professora de Psicologia da religião e aconselhamento cristão da faculdade de teologia FATADEB.

Nova carteira de identidade começa ser testada em dezembro


A partir de dezembro, Alagoas, Bahia, Maranhão, Rio de Janeiro, Santa Catarina e o Distrito Federal iniciarão os testes

Os Estados de Alagoas, Bahia, Maranhão, Rio de Janeiro, Santa Catarina e o Distrito Federal serão os primeiros a participarem do projeto-piloto da nova carteira de identidade, chamada de Registro de Identidade Civil (RIC).

A escolha foi feita durante uma reunião realizada nesta quarta-feira, em Brasília, pelo Comitê Gestor do Sistema Nacional de Registro de Identificação Civil, coordenado pelo Ministério da Justiça. A previsão é que sejam emitidos 2 milhões de cartões.

O cartão substituirá gradualmente as cédulas de Registro Geral (RG) a partir de dezembro deste ano com um número único de registro de identidade civil - disponível por meio de um cartão magnético com impressão digital e chip eletrônico. Posteriormente, o RIC poderá agregar a função de outros documentos, como, por exemplo, o título de eleitor, CPF e PIS-Pasep.

O novo cartão incluirá nome, sexo, data de nascimento, foto, filiação, naturalidade, assinatura, impressão digital do indicador direito, o órgão emissor, local e data de expedição e de validade. A substituição do RG pelo RIC será feita ao longo de nove anos
fonte Ultimo Segundo  http://ultimosegundo.ig.com.br/

É uma História muito linda.. Pense Nisso!!!!!!


Eram aproximadamente 22:00 horas quando um jovem começou a se dirigir para casa.
Sentado no seu carro, ele começou a pedir:
- 'Deus! Se ainda falas com as pessoas, fale comigo.
Eu irei ouvi-lo.
Farei tudo para obdecê-lo'
Enquanto dirigia pela rua principal da cidade, ele teve um pensamento muito estranho:
- 'Pare e compre um galão de leite'.
Ele balançou a cabeça e falou alto:
- 'Deus? É o Senhor?'.
Ele não obteve resposta e continuou dirigindo-se para casa.
Porém, novamente, surgiu o pensamento:
- 'Compre um galão de leite'.
'Muito bem, Deus! No caso de ser o Senhor, eu comprarei o leite'.
Isso não parece ser um teste de obediência muito difícil...
Ele poderia também usar o leite.
O jovem parou, comprou o leite e reiniciou o caminho de casa.
Quando ele passava pela sétima rua, novamente ele sentiu um pedido:
- 'Vire naquela rua'.
Isso é loucura...
- pensou
- e, passou direto pelo retorno.
Novamente ele sentiu que deveria ter virado na sétima rua.
No retorno seguinte, ele virou e dirigiu-se pela sétima rua.
Meio brincalão ele falou alto
- 'Muito bem, Deus. Eu farei'.
Ele passou por algumas quadras quando de repente sentiu que devia parar.
Ele brecou e olhou em volta.
Era uma área mista de comércio e residência.
Não era a melhor área, mas também não era a pior da vizinhança.
Os estabelecimentos estavam fechados e a maioria das casas estavam
escuras, como se as pessoas já tivessem ido dormir, exceto uma do outro
lado que estava acesa.
Novamente, ele sentiu algo:
- 'Vá e dê o leite para as pessoas que estão naquela casa do outro lado da rua'.
O jovem olhou a casa.
Ele começou a abrir a porta mas voltou a sentar-se. -' Senhor, isso é loucura.
Como posso ir para uma casa estranha no meio da noite?'.
Mais uma vez, ele sentiu que deveria ir e dar o leite. Finalmente, ele abriu a porta...
- ' Muito Bem, Deus, se é o Senhor, eu irei e entregarei o leite àquelas pessoas.
Se o Senhor quer que eu pareça uma pessoa louca, muito bem.
Eu quero ser obediente.
Acho que isso vai contar para alguma coisa, contudo, se eles não responderem
imediatamente, eu vou embora daqui'.
Ele atravessou a rua e tocou a campainha.
Ele pôde ouvir um barulho vindo de dentro, parecido com o choro de uma criança.
A voz de um homem soou alto:
- 'Quem está aí? O que você quer?'
A porta abriu-se antes que o jovem pudesse fugir.
Em pé, estava um homem vestido de jeans e camiseta.
Ele tinha um olhar estranho e não parecia feliz em ver um desconhecido em pe
na sua soleira.
- 'O que é?'.
O jovem entregou-lhe o galão de leite.
- 'Comprei isto para vocês'.
O homem pegou o leite e correu para dentrofalando alto.
Depois, uma mulher passou pelo corredor carregando o leite e foi para a cozinha.
O homem a seguia segurando nos braços uma criança que chorava.
Lágrimas corriam pela face do homem e, ele começou a falar, meio soluçando:
- 'Nós oramos.
Tínhamos muitas contas para pagar este mês e o nosso dinheiro havia acabado.
Não tínhamos mais leite para o nosso bebê.
Apenas orei e pedi a Deus que me mostrasse uma maneira de conseguir leite.
Sua esposa gritou lá da cozinha:
- 'Pedi a Deus para mandar um anjo com um pouco de leite...
Você é um anjo?'
O jovem pegou a sua carteira e tirou todo dinheiro que havia nela e
colocou-o na mão do homem.
Ele voltou-se e foi para o carro, enquanto as lágrimas corriam pela sua face.
Ele teve certeza que Deus ainda responde aos verdadeiros pedidos.
Agora, um simples teste para você:
- Se você acredita em Deus, mande esta mensagem para todos os seus
amigos...

Você tem 24 hs por dia, gaste algumas delas para fazer o bem.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Leão X Elefante o que você prefere ser?

 Por que o leão é o rei e o elefante sendo tão poderoso é o súdito?


O leão olha em volta e sua visão do mundo é totalmente diferente da visão do elefante.
O leão olha para o elefante que é 50 vezes maior do que ele.
O leão olha para o elefante que é 300 vezes mais pesado.
O leão olha para o elefante que é 200 vezes mais forte do que ele.
O leão sabe que elefante pode matá-lo apenas com uma pisada de uma de sua patas.
E mesmo assim ele ataca o elefante, e mostra quem manda.


O elefante é mais inteligente que ele, mais forte, mais poderoso que o leão e assim mesmo não consegue se opor a ele por muito tempo.
O que faz do leão o líder, não é seu tamanho, sua força ou inteligência. O que faz do leão o rei dos animais é a sua atitude. Liderança nasce de uma atitude.
O leão olha para o elefante e pensa: aquele é o meu almoço! E seguindo os seus instintos ele ataca o elefante com toda a sua força e o vence.

A visão e percepção do elefante são diferentes.
Ele é mais forte, mais inteligente, maior e mais poderoso do que o leão, mais quando ele olha para o leão vindo em sua direção ele se esquece de tudo que é e tem e foge. O leão o afugenta com sua presença. Quando o elefante olha para o leão ele pensa: lá vem o rei, e se eu não fugir agora mesmo, ele vai me ferir, me matar e me comer se puder.

Alguns países do mundo domesticaram elefantes e fizeram deles seus animais de carga ou de transporte pessoal. Para conseguirem tal proeza eles começam a domesticar o elefante ainda em sua juventude. Quando ainda são bebês elefantes. Estudando sobre isso eu observei algo muito interessante. Na indonésia os domesticadores de elefante prendem na pata traseira desses animais uma pequena corrente, quando ainda estão em sua juventude. E então prendem essa corrente em uma estaca que fica cravada no chão em frente as suas casas. O bebê elefante tenta se livrar da corrente no inicio e não consegue pois sua força não é suficiente. Por isso depois de um tempo eles simplesmente desistem de tentar se libertarem. Eles então crescem se tornam poderosos e fortes mais ainda carregam aquela corrente em sua pata traseira e continuam presos aquela pequena estaca enfrente a casa do seu dono por toda a vida, sem tentarem se liberta. O elefante cresceu se tornou poderoso, forte, ele é inteligente, porém em sua juventude não conseguiu livra-se da corrente. Ele têm agora a força e o poder para arrancar aquela estaca do chão e se liberta porém ele esta convencido por sua experiência passada de que isso não é possível.

A sua percepção das coisas em sua volta lhe torna refém das experiência do passado e o impedi de tentar novamente. Ele diferente do leão se entrega facilmente e não ousa ter mais qualquer atitude quando ao que o prende.
O meu conselho pra você é que você se torne como um leão. Seja uma pessoa de atitude!
Mesmo que você seja grande, forte, poderoso, inteligente não poderá alcançar grandes realizações se não tiver atitude de um leão. Então, olhe para o problema em sua frente, veja o elefante que esta no teu caminho e pense como um leão. Olhe para ele e diga: aquele é meu almoço! Eu sou um leão e como elefantes na hora do lanche!

Não permita que experiências destrutivas e traumáticas do teu passado te impeçam de vencer no dia de hoje. Muitas pessoas foram convencidas por essas experiências passadas de que nasceram para sofrer. Nasceram com um tipo de carma. Nasceram marcados para a dor. Para piorar ainda mais as coisas, estamos cercados de pessoas frustradas pelas lutas do dia a dia. Eles também não têm atitudes para melhorarem seu presente e futuro. Pessoas que não conseguiram vencer e agora tentam nos convencer de que também não conseguiremos.

Davi era um jovem rapaz que quando aparece na historia bíblica é visto como um menino sem formosura alguma e de aparência frágil (1. SM. 16), contudo dentro daquele menino frágil morava um leão, e quando ele olhou para o gigante Golias ele disse: eu vou contra ti em nome do Senhor dos exércitos!!!
Atitude de leão. Davi nunca pensou em seu coração que não venceria o gigante, ele apenas pensou: sou um leão e como elefantes no almoço!!

O leão não é o maior animal da floresta.
O leão não é o animal mais forte da floresta.
O leão não é o animal mais inteligente da floresta.
O leão não é o animal mais fascinante da floresta.
O leão não é o animal mais rápido da floresta.
O leão não é o animal mais poderoso da floresta.
O leão não é o animal mais esperto da floresta.
O leão não é o animal mais trabalhador da floresta.

Se com tudo isso ele é o rei, ainda existe esperança para você. O leão esta ai para nos dizer que é possível comer elefantes poderosos se você tiver atitude!!


Naquele que é o Leão de Judá, Jesus, o Leão dos leões!
Pr. Oséas Pontes
fonte  www.portalfiel.com.br



TESTEMUNHO DE DANIEL UM LÍDER CRISTÃO NA ETIÓPIA

"Louve a Deus, eu me sinto melhor agora"

Saiba mais sobre a Igreja Perseguida na Etiópia

ETIÓPIA (44º) - No início de março, Hailu e Fikiru, colaboradores de Portas Abertas Internacional, visitaram pela segunda vez Daniel, um líder cristão da Etiópia. Passaram-se aproximadamente oito meses desde que o braço de Daniel foi quebrado num ataque violento, numa disputa de terra entre a igreja local, Kale Hiwot, e um muçulmano.

“Louve a Deus, eu me sinto muito melhor agora”, disse Daniel, que está passando ainda por sessões de fisioterapia para recuperar a força em sua mão esquerda.

Embora Daniel esteja se recuperando lentamente dos ferimentos que sofreu no ataque em julho de 2009, seu braço esquerdo permanece com ferimento permanente. Os médicos conversaram com Daniel, explicando-lhe que tentaram todas as alternativas possíveis para salvar seu braço. Ambos os ossos de seu antebraço foram fraturados e os médicos se programaram para reparar um dos dois ossos, mas o outro saiu do lugar e foi necessária uma cirurgia e mais 6 meses de tratamento intensivo.

“O ferimento está agora desaparecendo e eu posso movimentar meus dedos, mas não consigo segurar ou carregar qualquer coisa com firmeza. Todavia, sou grato a Deus. Ele não me abandonou. Eu não tenho palavras para agradecer a vocês pelo suporte que vocês têm me oferecido,” disse Daniel.

Portas Abertas tem um papel ativo no suporte à família. Atualmente, Portas Abertas paga o tratamento médico de Daniel e liquidou sua dívida, com a finalidade de reaver seus dois hectares de terra.

“Sua recompensa está nos céus! Vocês estão me ajudando sem ter qualquer expectativa de retorno. Sua recompensa está nos céus! Deus abençoe vocês. Minha família e eu não tememos mais o futuro. Eu reivindiquei minha terra,” disse Daniel.

Atualmente, o braço de Daniel o tem afastado do trabalho na fazenda, mas seu irmão ofereceu assistência durante esta estação de colheita. Além do mais, Daniel espera ter condições de contratar empregados num futuro próximo. “ Para este ano, quero produzir trigo e milho. Se chover será muito bom (estamos na estação de chuva): espero produzir acima de seis quíntuplos em ½ hectare. Agora tenho dois hectares de terra. O produto desta fazenda pode suprir nossas necessidades para o ano.”

Tesfaye, também da igreja Kale Hiwot, também expressou sua satisfação: “Eu não estava aqui quando Portas Abertas veio a primeira vez (em novembro de 2009). Mas ouvi que vocês vieram orar por Daniel . Os outros membros ficaram muito felizes por saber disso. Quando os muçulmanos nos atacaram, estávamos sozinhos. Ninguém veio nos visitar ou nos animar. Até nossa igreja não procurou saber sobre nossa situação após o ataque . Nós ficamos animados quando ouvimos sobre a sua visita... Ficamos intimidados pelo incidente. Quando soubemos que vocês visitaram Daniel e oraram por ele, significou muito para nós. Agora percebemos que não estamos sozinhos.

Outros membros criaram coragem para tomar uma atitude de fé pelo testemunho de Daniel e sua família. Vocês podem imaginar por que estou dizendo isto, mas sua visita foi no tempo de Deus. Deus abençoe vocês. Que ele também fortaleça vocês quando precisarem”.

Embora Daniel continue com um problema permanente em seu braço, ele está demonstrando perdão e amor àqueles que o atacaram.

“Eu não preciso de nenhuma forma de vingança contra meus perseguidores,” disse Daniel, quando lhe perguntamos sobre seus sentimentos por aqueles que o atacaram. “Para mim a desforra é testemunhar sobre Cristo às pessoas que me atacaram. Será uma grande recompensa para mim se eles decidirem seguir a Cristo. Eu mesmo era contrário aos cristãos muitos anos atrás, mas o amor de Deus perdoou todos os meus pecados. E em troca eu estou sofrendo por minha fé. Estou orando pelas pessoas que me atacaram e humildemente peço que você se una a mim em oração. Alguns dos muçulmanos em nossa área estão perguntando por que nós perdoamos as pessoas que nos atacaram e eu estou contando que Cristo nos perdoou muito mais. Meu pai também não entende por que eu prefiro perdoar. Ele ainda é um muçulmano. E eu continuo a orar para que eles conheçam ao Senhor.”

Você pode encorajar o casal Daniel e Shita através de cartões e desenhos. Participe!

Tradução: Lilian Ludovico Andrade


Fonte: Portas Abertas

O número ao lado do país indica a sua posição na classificação de países
por perseguição
Leia também sobre
Etiópia ( 44 º)
Com ajuda, orações e cartas, cristãos são fortalecidos
"Deus mandou a chuva para deter o inimigo"
Cartas: lembretes de Deus nos momentos difíceis
O milagre na vida de Meskele
Eles precisam das nossas orações neste Natal
Outras regiões
Cartas encorajam viúvas da cidade de Jos (Parte 4)
Programas de televisão colaboram para a edificação de vidas
Cartas encorajam viúvas da cidade de Jos (parte 3)
Outros textos
Viúva cristã pleiteia custódia em tribunal da sharia
Campanha especial para crianças colombianas
"A liberdade da Coreia do Norte está nas mãos dos norte-coreanos americanos"
Ensinando as crianças a valorizar a liberdade
Cartas encorajam viúvas da cidade de Jos (Parte 4)
Cristãos iranianos enfrentam pressão crescente das autoridades

Buscar em testemunhos

domingo, 19 de setembro de 2010

testemunho da menina Vitoria!

O que é Bullying?


O que é Bullying? A palavra vem do inglês e significa ameaçar ou intimidar. Pode ser entendida como uma forma de exercer poder por meio da agressão. É um problema atual, que está crescendo de modo assustador, principalmente nas escolas, não só no Brasil, mas no mundo.

O Bullying é um comportamento consciente, intencional, deliberado, hostil e repetitivo, de uma ou várias pessoas, cuja finalidade é ferir outros. A maneira como se manifesta muda de acordo com a idade: bullying escolar, assédio sexual, ataques de gangue, violência no namoro, violência conjugal, abuso infantil, assédio no local de trabalho e abusos de idosos (Pepler e Craig, 1997).

“O comportamento bullying não está relacionado à raiva, como também não é um conflito a ser resolvido; tem a ver com desprezo, considerando a pessoa como alguém sem valor, inferior ou não merecedor de respeito. Este desprezo vem sempre acompanhado de três aparentes vantagens psicológicas que permitem que se machuque os outros sem sentir empatia, compaixão ou vergonha — um sentimento de poder, que dá ao agressor o direito de ferir ou controlar outros; uma intolerância à diferença; e uma liberdade de excluir, barrar, isolar e segregar outros.” (Coloroso, Barbara, The bully, the bullied and the bystander)

Algumas formas de Bullying:

Violências e ataques físicos;
Gozações verbais, apelidos e insultos;
Extorsão ou confisco de pertences ou dinheiro;
Exclusão do grupo.

Pesquisas mostram que o bullying não é apenas uma fase ou um comportamento socialmente aceitável, e que reagir a essa situação aumenta o risco de sérios danos físicos. Na verdade, bullying é um comportamento aprendido, e comportamentos aprendidos podem ser mudados, principalmente nas escolas, onde é possível o envolvimento de professores, alunos, diretores e das famílias, por meio de palestras, denúncias, e da busca de soluções reais mediante a conscientização dos danos físicos e morais causados gratuitamente a outros. O resgate dos valores morais, do respeito e do amor ao próximo, tão descartáveis na atualidade, é essencial.


A autora do artigo, Maria José Silva, é professora e psicopedagoga

quinta-feira, 16 de setembro de 2010



O Mito da Caverna
reprodução
   Platão    (428-347)
O Mito da Caverna narrado por Platão no livro VII do Republica é, talvez, uma das mais poderosas metáforas imaginadas pela filosofia, em qualquer tempo, para descrever a situação geral em que se encontra a humanidade. Para o filósofo, todos nós estamos condenados a ver sombras a nossa frente e tomá-las como verdadeiras. Essa poderosa crítica à condição dos homens, escrita há quase 2500 anos atrás, inspirou e ainda inspira inúmeras reflexões pelos tempos a fora. A mais recente delas é o livro de José Saramago A Caverna.
A Condição Humana
Platão viu a maioria da humanidade condenada a uma infeliz condição. Imaginou (no Livro VII de A República, um diálogo escrito entre 380-370 a.C.) todos presos desde a infância no fundo de uma caverna, imobilizados, obrigados pelas correntes que os atavam a olharem sempre a parede em frente. O que veriam então? Supondo a seguir que existissem algumas pessoas, uns prisioneiros, carregando para lá para cá, sobre suas cabeças, estatuetas de homens, de animais, vasos, bacias e outros vasilhames, por detrás do muro onde os demais estavam encadeados, havendo ainda uma escassa iluminação vindo do fundo do subterrâneo, disse que os habitantes daquele triste lugar só poderiam enxergar o bruxuleio das sombras daqueles objetos, surgindo e se desafazendo diante deles. Era assim que viviam os homens, concluiu ele. Acreditavam que as imagens fantasmagóricas que apareciam aos seus olhos (que Platão chama de ídolos) eram verdadeiras, tomando o espectro pela realidade. A sua existência era pois inteiramente dominada pela ignorância (agnóia).
Libertando-se dos grilhões
Se por um acaso, segue Platão na sua narrativa, alguém resolvesse libertar um daqueles pobres diabos da sua pesarosa ignorância e o levasse ainda que arrastado para longe daquela caverna, o que poderia então suceder-lhe? Num primeiro momento, chegando do lado de fora, ele nada enxergaria, ofuscado pela extrema luminosidade do exuberante Hélio, o Sol, que tudo pode, que tudo provê e vê. Mas, depois,

  
aclimatado, ele iria desvendando aos poucos, como se fosse alguém que lentamente recuperasse a visão, as manchas, as imagens, e, finalmente, uma infinidade outra de objetos maravilhosos que o cercavam. Assim, ainda estupefato, ele se depararia com a existência de um outro mundo, totalmente oposto ao do subterrâneo em que fora criado. O universo da ciência (gnose) e o do conhecimento (espiteme), por inteiro, se escancarava perante ele, podendo então vislumbrar e embevecer-se com o mundo das formas

O crente comparado ao Sal

Tema:- O crente comparado ao sal.
Texto: - Mateus capítulo 5 , versículo 13.

Introdução:

Jesus no seu sermão, o " Sermão da Montanha", ( Mateus cap 5 - 7:29) falou sobre as bem-aventuranças, agora ele compara os seus discípulos com o sal.
Mas qual a semelhança entre o crente e o sal?
O que Jesus estava querendo demonstrar com essa comparação?
Para que nós venhamos entender essa comparação, devemos analisar algumas características do sal.
Segundo alguns estudiosos da Palavra de Deus, Jesus estava fazendo uma alusão as grandes salinas que existiam próximas a região sul do Mar Morto que era uma grande fonte inesgotável de sal.
No livro de Sofonias 2:9 cita o poço de sal, e em 2Sm 8:13 sobre o vale do sal.
O sal usado pelos antigos era o sal-gema ou seja, o sal de boa qualidade. Mas também havia sal dos lagos que era considerado de qualidade ruim sendo a sua parte exterior sem sabor que não servia para nada.

Divisões:

I) O sal é cristalino ou transparente.
O crente tem que levar uma vida transparente perante o mundo, não ter nada a esconder, ser claro em tudo que ele fizer. O crente tem que ter responsabilidade nos negócios, no trabalho, na família.
Nos negócios: temos que pagar nossas contas.
No trabalho: ser exemplo para os demais funcionários
Na Família: Efésios 5:25 - "Maridos, amai a vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela".
Efésios 5:24 - " De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido".
Efésios 6:1,2 - " Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo"
" Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra".
Não ser um crente camaleão, o camaleão é um réptil da família do lagarto, capaz de mudar de cor ou seja ele se adapta a qualquer tipo de ambiente. E tem crente que infelizmente agem de acordo com o ambiente que ele se encontra, se está com os amigos do serviço , agem como tais, faz o que os amigos fazem e enfim quando chega na igreja age como crente.
O cristão tem que levar uma vida em comunhão com Deus e deixar transparecer o poder do Espírito Santo sua vida.

II) O sal é branco.

Na Bíblia Sagrada o branco é sinônimo de santidade, é sinônimo de vida com Deus.
O crente tem que ser Santo, separado.
Nós vemos lá no livro de II Reis no capítulo 4 que Eliseu nas suas sucessivas viagens passava em frente da casa da sunamita, pois ela morava em Suném uma pequena cidade próxima ao monte Carmelo , e ela comentava com o seu marido: " Eis que tenho observado que este que passa sempre por nós é um santo homem de Deus ".
O crente tem que ser diferente e fazer a diferença neste mundo.
Um outro exemplo que podemos tomar é a vida de Carlos Finey, conhecido como o apóstolo dos avivamentos.
Nos diz a história que certa vez Finey entrou em uma firma e o poder do Espírito Santo estava sobre a vida dele, e os operários daquela empresa ao vê-lo, sentiam a culpa de seus pecados.
Aonde nós estivermos as pessoas tem que saber que você e eu somos diferentes , porque o Espírito Santo de Deus está sobre as nossas vidas.

III) O sal preserva .

O crente tem que se preservar do mundo, do pecado , dos costumes impostos pelo mundo, o crente tem que se manter íntegro diante de Deus, não se curvar as situações, as idolatrias que esse mundo oferece.
Os meios de comunicação tem sido um dos principais meios que Satanás tem usado para que o crente se contamine com o mundo.
Nós vemos no livro do profeta Daniel no capítulo 1 e no versículo 8 que Daniel após ser levado cativo para a Babilônia ele " assentou " ou propôs no seu coração não se contaminar com os manjares do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar.
Sabe porque Daniel não quis comer dos manjares do rei? Porque era costume dos babilônicos de antes de comer qualquer tipo de alimento , esses alimentos eram oferecidos aos deuses da Babilônia, e é por isso que Daniel se preservou daqueles alimentos.
Meus irmãos, irmãs, jovens, adolescentes, crianças e obreiros, vamos nos preservar do pecado, da idolatria e fazermos a vontade de Deus.


IV) O sal da gosto.

O sal da gosto aos alimentos, um sabor agradável.
Nós vemos hoje em dia muitas pessoas sem razão de viver, já perdeu o gosto pela vida estão desesperadas, já tentando achar a solução para as suas vidas mas não conseguiram achar.
Nós que somos o sal da terra temos a missão de dar sabor a essas vidas sermos agradáveis , lá no livro de Colossensses no capítulo 4 no versículo 6 - " A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibas como convém responder a cada um".

V) O sal é um símbolo de compromisso

Os orientais tem por costume ratificar (validar aquilo que foi dito) as suas promessas por meio de presentes de sal.
As ofertas oferecidas ao Senhor tinham que ser salgada com sal simbolizando o compromisso de Deus e o Seu povo.
Como estão os nossos compromissos perante o nosso Deus? Será que o que Deus tem colocado em nossas mãos estamos fazendo com amor e com dedicação? Ou estamos fazendo de qualquer maneira? Será que estamos nos dedicando ao máximo, dando o melhor de nós ?

VI)O sal insípido

Há muitos crentes que já não tem mais sabor perdeu o gosto pela vida, está sem ânimo, nunca se viu como nos dias de hoje um desânimo tão grande para realizar a obra de Deus, e por algum motivo ou outro caiu em descrédito perante a sociedade e não tem forças para se reerguer. Você quer voltar ao primeiro amor mais não consegue.
Mas lá no livro de Isaías no cap.40 no versículo 30 e 31 nos diz: Os jovens se cansarão e se fadigarão, e os jovens certamente cairão.
Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fadigarão.
Isaías 41:10 - Não temas, porque Eu Sou contigo; não te assombres, porque Eu Sou o teu Deus; eu te esforço e te ajudo, e te sustento com a destra da minha mão.
Publicado em: 25/7/2003
Por: Eduardo Henrique dos Santos
Assembléia de Deus Jd. Piraporinha (Madureira) - Diadema

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Anfetaminas



Quem nunca sonhou em se livrar de indesejáveis gordurinhas de forma indolor e sem sacrifício?
Percebe-se que muitas pessoas, insatisfeitas com seu corpo e na busca por resultados imediatos, recorrem a cirurgias plásticas e/ou tratamentos medicamentosos. Sendo assim, o uso de Anfetaminas, drogas sintéticas produzidas em laboratório, é um exemplo perigoso do tipo de alternativa “fácil” procurada na busca pela redução de peso. Por isso, considerando-a as anfetaminas como DROGAS, que geram tolerância e dependência química, listarei aqui suas propriedades, efeitos e conseqüências sobre o organismo.

As Anfetaminas são freqüentemente utilizadas por pessoas que querem reduzir o peso ou por indivíduos que querem permanecer acordados. Um exemplo clássico de uso dessa droga estimulante foi o dos soldados da Segunda Grande Guerra, em que eram administradas anfetaminas aos combatentes com o propósito de mantê-los acordados por mais tempo, com menos cansaço, sede ou fome e com maior força física e agressividade.

Para efeito de comparação, as anfetaminas incluem-se no grupo de drogas estimulantes, tais como: cocaína, crack e merla. Drogas essas com efeitos nocivos, capazes de modificar e alterar o comportamento do indivíduo, interferindo diretamente no Sistema Nervoso Central (SNC). E, apesar de as anfetaminas não serem vistas pela sociedade com tanto preconceito como o crack, por exemplo, produzem efeitos físicos que são tão prejudiciais quanto os gerados por qualquer outra droga.

Listaremos aqui alguns efeitos físicos que não são poucos e muito menos brandos:

• estados de alerta exagerado
• insônia
• hiperatividade
• falta de apetite
• sensações aumentadas ou distorcidas
• pupilas dilatadas
• rubor
• agitação
• boca seca
• disfunção erétil
• dor de cabeça
• taquicardia
• batimento cardíaco elevado
• aumento da pressão sanguínea
• febre
• suor
• diarréia
• constipação
• visão turva
• fala prejudicada
• tontura
• movimentos incontrolados
• tremor
• palpitações
• arritmia


Além desses efeitos listados acima, ao utilizá-la o indivíduo é capaz de fazer várias tarefas ao mesmo tempo, entretanto, não consegue concentrar-se em NENHUMA.
Seu uso exagerado, crônico e continuado pode gerar alucinações, estados de paranóia, convulsões, pele seca, acne, palidez, ataques cardíacos e degeneração de determinadas células do cérebro.

O uso dessa substância psicoativa pode gerar uma necessidade física ou psicológica de uso continuado - DEPENDÊNCIA QUÍMICA – e necessidade de doses cada vez maiores para obtenção do mesmo resultado – TOLERÂNCIA. Essa necessidade psicológica gerada advém do desejo de satisfação imediata em que, ao se perceber o “reforço positivo” / os resultados (o emagrecimento, por exemplo), ativa-se o “circuito de recompensa” do cérebro, mantendo dessa maneira o desejo pela droga em um ciclo compulsivo.

Não tão fácil de se livrar da dependência de uso das anfetaminas, o indivíduo ao perceber as conseqüências negativas e caso deseje reduzir ou interromper o uso sofrerá com SINTOMAS DE ABSTINÊNCIA, tais como: ansiedade, depressão, agitação, fadiga, sono excessivo, momentos de compulsão pela droga, apetite aumentado, psicose (que pode permanecer por até um ano) e pensamentos suicidas.
Sintomas esses que variam conforme as condições clínicas do indivíduo, tempo de uso, quantidade ingerida e história de abstinências anteriores.

Agora, pense um pouco, depois de conhecer as propriedades e reais conseqüências do uso das anfetaminas, você ainda quer utilizá-la?? Será que vale o risco ter alguns quilos a menos??

Forte Abraço,
Sofia Lisboa
Psicóloga Clínica Serena de Psicologia