segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A IGREJA DE FILADÉLFIA - A IGREJA MISSIONÁRIA (1730 d.C. - Arrebatamento) Apocalipse 3:7-13

A IGREJA DE FILADÉLFIA - A IGREJA MISSIONÁRIA (1730 d.C. - Arrebatamento)
Apocalipse 3:7-13

IMAGEM:http://files.igrejaempatos.webnode.pt/200000603-bd47ebe41f/estudo%20as%20sete%20igrejas%20filadelfia.jpg

 

  1. Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: Estas coisas diz o santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, que abre, e ninguém fechará, e que fecha, e ninguém abrirá:
  2. Conheço as tuas obras — eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar — que tens pouca força, entretanto, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome.
  3. Eis farei que alguns dos que são da sinagoga de Satanás, desses que a si mesmos se declaram judeus e não são, mas mentem, eis que os farei vir e prostrar-se aos teus pés e conhecer que eu te amei.
  4. Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.
  5. Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.
  6. Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá; gravarei também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do meu Deus, e o meu novo nome.
  7. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
A cidade de Filadélfia estava bem no centro da civilização grega. Foi fundada por Átalos II Filadelfos de Pérgamo, em 189 a.C. Em 481 a.C, o rei persa Xerxes I viajou a Sardes a caminho da Grécia. O prováveis objetivos de Átalos II em fundar a cidade de Filadélfia foram estabelecer uma passagem para a cidade de Frígia e helenizar aquela população que até então falavam em seu próprio idioma, o gálico.
Hoje, Filadélfia corresponde à cidade turca de Alasehir, situada a 130km ao leste de Esmirna. Portanto, por situar-se em um local estratégico, Filadélfia foi uma cidade que exerceu grande influência sobre aquela região do mundo antigo. Segundo as Escrituras, a Igreja em Filadélfia era cheia de vida, e realmente representava o verdadeiro, autêntico Cristianismo, sem a contaminação que havia atingido outras das sete igrejas de Apocalipse.

Perfil da Igreja de FiladÉlfia

Filadélfia é um nome grego que significa "amor fraternal". O Senhor Jesus elegeu a Igreja de Filadélfia para representar o período histórico de avivamento que ocorreu na Igreja por volta de 1750 d.C. e que continuará até a ocasião do Arrebatamento. O período imediatamente anterior representado pela igreja de Sardis marcou a nova contaminação na Igreja por parte de Satanás, apesar da mesma haver passado pelo período da Reforma Protestante que deveria avivá-la, mas Satanás a atacou novamente no sentido de tentar mantê-la fria, morta, sendo novamente Igreja do Estado, tal qual era no período representado pela Igreja de Pérgamo. Tudo para tentar impedir o avivamento do Espírito Santo.
Em resumo: não foi a Reforma quem contaminou a Igreja, obviamente. Satanás tentou com que a Reforma não fosse efetiva na Igreja neste período.
Entre vários movimentos do Espírito Santo ao redor do mundo por volta de 1750 d.C. a fim de reativar o avivamento, vale a pena destacar um deles: o surgimento de John Wesley.
"Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: Estas coisas diz o santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi..."
Aqui Jesus expressa sua autoridade máxima. O que tem a chave é o que controla tudo. Portanto, Jesus faz uma referência enfática de sua total autoridade, a mesma que o Nome Dele já exerce hoje sobre todo principado e potestade e a mesma que Ele exercerá em Seu governo milenar, em Seu Aparecimento Glorioso.
"...que abre, e ninguém fechará, e que fecha, e ninguém abrirá:"
Jesus demonstra novamente sua autoridade máxima, conforme Mateus 28:18:
"Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra."
Jesus é o único que abre portas de oportunidade de evangelização que ninguém pode fechar. Marcos 16:15-16 afirma:
"E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado."
Por isso, a Igreja de Filadélfia representa o per~iodo em que o trabalho missionário foi reativado. Por outro lado, Jesus também fecha portas que ninguém (nem o inferno) poderá abrir. Em Mateus 16:18, a Palavra diz:
"Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela."
A igreja que realmente se submete a Cristo tem sempre o poder de fechar as portas do inferno. Quem fecha as portas, é claro que é Cristo, quem edifica a Igreja (Mateus 16:18) . Aqui nos referimos à Igreja que sabe usar a autoridade que Jesus dá a ela em Seu Nome. Filadélfia tinha essa autoridade outorgada por Cristo, porque era fiel a Ele. Existem igrejas hoje que sofrem ataques e desfalques do inferno constantemente. Isso significa que alguma porta do inferno manteve-se aberta por legalidade que Satanás adquire sobre tal. Satanás somente entra e prevalece quando a ele é dada tal legalidade. Por isso, para se fechar a porta, os membros da igreja (líderes e ovelhas) deverão confessar o pecado da igreja a Deus, arrependendo-se e pedindo perdão para que a injustiça (a legalidade inimiga) seja removida, e finalmente a porta seja fechada, tal qual afirma 1 João 1:9:
"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça."
"Conheço as tuas obras — eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar..."
Aqui Jesus afirma que deixou a porta de oportunidade da pregação do Evangelho aberta de contínuo para a Igreja de Filadélfia, conforme Isaías 60:11:
"As tuas portas estarão abertas de contínuo; nem de dia nem de noite se fecharão, para que te sejam trazidas riquezas das nações, e, conduzidos com elas, os seus reis."
"...que tens pouca força..."
Esse versículo quer dizer que a Igreja de Filadélfia era composta por uma congregação pequena. Definitivamente, Deus não se interessa por quantidades, mas por fidelidade. As igrejas pequenas em número de membros têm também visitações grandiosas de Deus. Infelizmente temos visto alguns líderes que, ao verem o número de membros de suas denominações crescerem, acabam perdendo o foco principal em Jesus Cristo e começam a concentrarem-se no que se arrecada em dízimos e ofertas, em formar "impérios" de milhares de membros, e terminam centrando-se em si mesmos.
Principalmente no Brasil, vemos esse "fenômeno" ocorrer com mais freqüência, e vemos também que Deus responde com muito poder às igrejas pequenas.
"...entretanto, guardaste a minha palavra..."
A Igreja de Filadélfia obedeceu à Palavra de Deus. Ela praticou a obediência. As igrejas da Reforma, por exemplo, sejam as da época de 1500 d.C. como as de hoje, crêem mas raramente obedecem à Palavra de Deus.
"...e não negaste o meu nome."
A fidelidade da Igreja de Filadélfia era tamanha que nunca negaram ao Nome de Jesus. Negar ao Nome de Jesus é mais usual do que se pensa. Focalizamos o episódio de Pedro, somente. Mas qualquer distorção na Palavra genuína, qualquer desobediência, qualquer mau exemplo de ovelhas e líderes, constituem também a negação ao Nome de Jesus Cristo. No final dos tempos, veremos ainda mais evidente o contraste entre a pregação do verdadeiro Evangelho e falsos líderes, que semeiam o espírito de antricristo como um vírus, inoculando a igreja evangélica atual.
"Eis farei que alguns dos que são da sinagoga de Satanás, desses que a si mesmos se declaram judeus e não são, mas mentem, eis que os farei vir e prostrar-se aos teus pés e conhecer que eu te amei."
Jesus promete trazer à tona tudo que é oculto e trabalha contra Sua genuína Igreja. Isso virã em forma de julgamento, de espada. Hoje, na Igreja Brasileira, já estamos vendo falcatruas de supostos líderes evangélicos sendo expostas ao público. É assim que Deus limpará as vestes manchadas da igreja atual.
"Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra."
A maior de todas as tribulações sobre a terra ainda está por vir. O período de Tribulaçâo é descrito pela Bíblia como o pior período da história da humanidade, quando o anticristo será o governador mundial por sete anos. Porém, Jesus promete arrebatar a Igreja verdadeira (representada aqui pela Igreja de Filadélfia) antes desse temeroso período. Tudo por causa da fidelidade da Igreja de Filadélfia.
"Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa."
A Jesus reafirma sua Segunda Vinda, para confortar os corações da Igreja Verdadeira. Do ponto de vista histórico, obviamente a Igreja de Filadélfia já não existe, mas Jesus reafirma a esperança de Sua Segunda Vinda aos que permanecerem fiéis até o final. A vigilância se faz necessária para que não haja legalidade dada a Satanás que o permita roubar nossa coroa.
"Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá..."
Coluna significa estabilidade. Somente em Cristo teremos estabilidade, como cristãos. Mesmo que a nossa fé seja provada, seja motivo de chacota de outros, e mesmo que muitos de dentro da própria igreja nos firam na alma, em Cristo estaremos sempre estáveis. Muitos irmãos em Cristo da igreja atual estão doentes, e precisam desta cura interior urgentemente. Não só ovelhas, mas principalmente líderes, que perdem o foco em Cristo, deixam-se seduzir pela posição de liderança que têm, esquecem-se da humildade necessária da liderança de Cristo e querer ser servidos, ao invés de servirem - lição número 1 da liderança de Cristo.

"...gravarei também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do meu Deus..."
A Palavra de Deus diz em Efésios 1 que somos selados com o Espírito Santo - um sinal visível no mundo espiritual. Isso é exatamente a gravação do nome do Pai em nossas vidas, o que nos dará direito de habitar na Nova Jerusalém, conforme as descrições de Apocalipse 21:9 a 22:6.
"...e o meu novo nome."
O nome de Jesus será gravado nos crentes fiéis como confirmação do selo e para cumprir o que está escrito em Apocalipse 22:3-4:
"Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele."
Estaremos habitando com Jesus e com o Nome Dele gravado em nossas frontes. Aleluia!
" Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito Santo diz às igrejas."
O desejo de Cristo é que sejamos cristãos sensíveis ao que o Espírito Santo tem a nos dizer. Além disto, o desafio de Cristo é que sejamos praticantes da Palavra, além de ouvintes (Tiago 1:22):
"E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos."


John Wesley, fundador da igreja metodista, surgiu como resultado de intercessão dos cristãos ingleses que clamavam a Deus por mudanças na Inglaterra da época, que estava literalmente entregue à miséria e à bebedice, sem futuro. Há registros históricos impressionantes de odres de vinho que se rompiam durante a disputa voraz da população londrina pobre por bebida, a ponto de homens e mulheres beberem o vinho que escorria pela sarjeta das ruas. A Inglaterra necessitava de mudança social drástica.
Uma das reuniões intercessórias de maior destaque foi o movimento de cem anos de oração elaborado e posto em prática pelo Conde Zindendorff, clamando a Deus por avivamento, no início do século XVIII. Pelo menos uma pessoa por dia orava pedindo perdão pelos pecados da nação inglesa, entrando na brecha (Ezequiel 22:30), fazendo com que o movimento de cem anos de oração fosse ininterrupto. Qual foi o resultado? O surgimento de John Wesley, que percorreu toda a Inglaterra montado a cavalo, sem jatinho, sem internet, e levou a Inglaterra a um dos maiores avivamentos em sua história, tirando-a da situação de miséria que vigorava até então.
O diabo tentou eliminar esse avivamento: aos oito anos de idade, John Wesley quase morreu em um incêndio criminoso misterioso em sua casa. Sua mãe narrou que John foi último dos filhos que ela conseguiu tirar da casa em chamas. Mas o diabo não conseguiu. O Poder de Deus sempre é maior. Dizia Samuel Chadwick: "O diabo treme, quando um homem ou uma mulher começa a orar, porque ele sabe que Deus vai agir". Aleluias!
Que exemplo! A intercessão muda a história! A intercessão acelera o cumprimento da Palavra! Vocês já pensaram se a Igreja Brasileira tomasse uma posição radical assim, nesses moldes? Quando isso acontecer, nosso Brasil será mudado totalmente!
O interessante disso é que o avivamento promovido pelo Espírito Santo nessa época reativou o trabalho missionário ao redor do mundo. O "ide" de Jesus (Marcos 16:15-16) voltou a ser obedecido pela Igreja. Sabem por que? Porque o resultado da intercessão é a reconciliação entre os homens e Deus. Jesus, o intercessor (mediador) entre os homens e Deus, fez isso na cruz, e a intercessão sempre produzirá esse resultado ao final: reconciliação.
Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: Estas coisas diz o santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, que abre, e ninguém fechará, e que fecha, e ninguém abrirá:
À igreja de Filadélfia, Jesus revela quatro características que não estão na visão de João em Apocalipse 1. São elas:
  • Santo: Jesus relembra a Igreja de Filadélfia acerca da Santidade Dele. Em 1 Pedro 1:16, a Palavra afirma:
"...porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo."
A Igreja de Filadélfia se preocupava muito em buscar a santidade. Por isso Jesus se revelou como Santo à eles.
  • Verdadeiro: Em João 14:6, Jesus afirma ser a Verdade. Verdadeiro, segundo o dicionário Webster, significa íntegro, genuíno, confiável, consistente com fatos ou realidade. Em Jesus, não há duvidas! Em João 6:32-35, Jesus afirma novamente que Ele é o pão verdadeiro:
"Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: não foi Moisés quem vos deu o pão do céu; o verdadeiro pão do céu é meu Pai quem vos dá. Porque o pão de Deus é o que desce do céu e dá vida ao mundo. Então, lhe disseram: Senhor, dá-nos sempre desse pão. Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede."
WWW.TEMPODOFIM.COM

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

A IGREJA DE SARDES - A IGREJA MORTA (1520 d.C. - Tribulação) Apocalipse 3:1-6

imagem http://files.igrejaempatos.webnode.pt/200000383-e8ab9e9293/estudo%20as%20sete%20igrejas%20sardes.jpg


A IGREJA DE SARDES - A IGREJA MORTA (1520 d.C. - Tribulação)
Apocalipse 3:1-6

  1. Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto.
  2. Sê vigilante e consolida o resto que estava para morrer, porque não tenho achado íntegras as tuas obras na presença do meu Deus.
  3. Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda-o e arrepende-te. Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecerás de modo algum em que hora virei contra ti.
  4. Tens, contudo, em Sardes, umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras e andarão de branco junto comigo, pois são dignas.
  5. O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.
  6. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Os registros históricos não nos fala muito sobre a cidade de Sardes. O que se sabe com certeza, é que Sardes era a capital da província de Lídia e era uma cidade muito rica e importante da Ásia menor. A indústria de tapetes era a principal atividade econômica exercida pela cidade, até ser finalmente destruída por um terremoto. Ao que parece, a igreja local tinha um certo renome em certas áreas de Sardes, mas na realidade a igreja estava morta. Um fato trágico! A vida do cristão deve ser exatamente marcada pelo que Jesus disse em João 10:10:
"...eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância."

Perfil da Igreja de Sardes

Alguns poucos crentes desta igreja eram realmente vivos e não contaminaram suas vestes. A palavra "Sardes" quer dizer os que escapam ou os que saem. Ao relacionarmos esse nome com a condenação de Cristo a essa igreja, o resultado será uma descrição perfeita das igrejas da época da Reforma.
Por isso, a igreja de Sardes representa também o período histórico da Reforma Protestante, que ocorreu em 1520 d.C. A Reforma Protestante ocorreu como resultado da contínua prática da igreja de Roma nas doutrinas pagãs em vez da permanência nas Escrituras.
O ponto principal de protesto à Roma era justamente o que Martin Lutero citava em Romanos 1:17, que diz que "o justo viverá pela fé". Em 31 de outubro de 1517, Martin Lutero publicou 95 teses provando que a doutrina da igreja de Roma estava totalmente equivocada e pagã à luz da Bíblia. Clique aqui e saiba porque o dia das bruxas é hoje comemorado em 31 de outubro.
As igrejas da Reforma passaram a não mais praticar a salvação pelas obras (o que Roma impunha até então) para declararem que a salvação, na realidade, vem pela fé. Até aí, o movimento Protestante foi realmente benéfico e Satanás recebeu um contra-ataque aos seus planos de manter a igreja contaminada sob o seu controle.
Porém, o grande problema depois da Reforma foi outro contra-golpe de Satanás, que novamente usou da estratégia da contaminação para anular qualquer ameaça de avivamento na época.
Em primeiro lugar, as próprias igrejas da Reforma acabaram se convertendo em igrejas do Estado. Lutero, depois de ser tremendamente usado por Deus para iniciar o processo de reavivamento da igreja, usou de uma estratégia errada e buscou aprovação de líderes políticos alemães e a igreja luterana se transformou em igreja estatal da Alemanha.
E, assim, outros líderes locais do movimento protestante de outros países copiaram a mesma estratégia, respectivamente. A tragédia dessa estratégia foi que, sendo estatal, automaticamente toda a população do país estava automaticamente inserida dentro da igreja, e anulava a necessidade da aceitação individual de Jesus Cristo para salvação. Mais um efeito colateral da estratégia foi que havia sempre a tendência de se satisfazer primeiro o governo do que a Deus.
Em segundo lugar, Satanás procurou paralisar o efeito real que a Reforma traria à igreja de Jesus Cristo no intuito de manter a contaminação impregnada, de uma maneira ou de outra. E teve um certo êxito. Muitos dos costumes pagãos de Roma acabaram permanecendo dentro das igrejas da Reforma, tais como batismo de crianças recém-nascidas, por exemplo.
Esses dois fatores fizeram com que o Espírito Santo de Deus continuasse sem espaço para agir, porque não se ministrava o Evangelho, nem um encontro pessoal com Jesus Cristo. Sem isso, uma igreja é literalmente morta.
É essa a razão pela qual Jesus afirmou que a igreja de Sardes estava morta em sua época.
Cabe uma observação importante aqui: Nem por isso devemos julgar Lutero, porque ele foi mesmo escolhido e usado por Deus para iniciar o ressurgimento da verdadeira Igreja de Jesus Cristo. Assim como Lutero, até Davi errou ao longo de sua vida com Deus (assassinou, adulterou) mas nem por isso deixou de ser homem segundo o coração de Deus (Atos 13). Lutero era SIM homem segundo o coração de Deus. Prova disso é que Satanás, no fim das contas, não pôde impedir o ressurgimento e o avivamento da Igreja de Jesus Cristo ao longo da história até os dias de hoje.
"Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas..."
Jesus escolheu uma de suas características mais interessantes para se revelar à igreja de Sardes. Foi a mesma natureza divina que revelou a João em Apocalipse 1.
Os sete Espíritos aqui citados não são "sete Espíritos Santos", mas sim, uma referência às sete obras do Espírito Santo de Deus, conforme está em Isaías 11:2:
"Repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor."
As sete estrelas são as mesmas de Apocalipse 1:20, quando o Senhor revela a João que as sete estrelas são os sete anjos das sete igrejas. Aqui, alguns estudiosos crêem que os anjos representem os líderes das igrejas, e outros crêem que os anjos são realmente seres angelicais sobrenaturais.
Em outras palavras, essa forma de Jesus se apresentar à igreja de Sardes tem o objetivo de justamente adverti-la de que essa igreja confiava mais no Estado do que no Espírito de Deus.

"Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto."
Jesus faz o elogio mais curto à Sardes do que a todas as outras igrejas de Apocalipse. Alguns teólogos dizem até que nem é bem um elogio. Quando Jesus diz: "conheço tuas obras" isso pode muito bem se referir aos primórdios da reforma Protestante quando houve realmente o contra-ataque de Martin Lutero a Satanás no sentido de oposição ao paganismo existente na igreja. Afinal, eles arriscaram a própria vida para afirmar que a salvação vinha pela fé e não pelas obras, como era imposto por Roma.
"Tens nome de que vives..." é uma frase dita por Jesus à Igreja de Sardes no sentido de que ela teria fama ou reputação, na época, de ser uma igreja fiel a Cristo, principalmente logo após ser fundada. De fato, aqueles que põem a fé em Cristo vivem, mas além disso é necessária a submissão diária a Deus para que a Igreja seja realmente obediente. Algo que não acontecia com a Igreja de Sardes.
Mas Jesus também diz "...e estás morto." referindo à realidade da Igreja de Sardes. Rituais, cerimônias da Igreja de Sardes eram fachada para esconder a verdadeira "vida" em que ela se encontrava - totalmente ineficaz e morta.
"Sê vigilante..."
A expressão "sê vigilante..." denuncia que os ensinamentos vindos da Reforma eram deficientes. Faltava a profecia bíblica e a santificação. Com isso, a promessa e a consciência da volta de Jesus nunca era pregada, simplesmente porque não se ensinava o caráter profético das Escrituras. A conseqüência deste tipo de ensino é a ausência do avivamento na vida do cristão.
"...e consolida o resto que estava para morrer..."
Está mais do que claro que Jesus alerta à igreja para se pregar o avivamento. Isso foi verdade nos primeiros dias da Reforma, mas novamente Satanás investe na contaminação da Igreja e conseguiu temporariamente anular qualquer manifestação de avivamento. Como conseqüência, a situação da humanidade na época era deplorável - orgias, bebedices e violência eram constantes na sociedade da época, principalmente na Inglaterra, e não era diferente dentro de muitas igrejas pós-Reforma da época.
"...porque não tenho achado íntegras as tuas obras na presença do meu Deus."
Jesus confirma que as obras da Igreja de Sardes na realidade não eram autênticas diante de Deus. O fato confirma o período da Reforma, que começou bem, mas depois deixou-se contaminar novamente por pelo menos mais 200 anos após 1520 d.C. Percebe-se claramente que Satanás usa da estratégia da contaminação no Corpo de Cristo para anular o avivamento e a atuação do Espírito Santo na Idade Média.
"Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido..."
A advertência de Jesus é para que a Igreja de Sardes volte às doutrinas e ensinamentos genuínos de se estudar as Escrituras e experimentar do sobrenatural de Deus, bem como depender exclusivamente Dele. No período da Reforma, as Igrejas se tornaram estatais, e satisfaziam muito mais ao Estado do que a Deus.
"...guarda-o e arrepende-te."
Obedecer ao mandamento de Deus é fundamental e era exatamente o que a Igreja de Sardes não fazia. Jesus duramente exorta à Igreja de Sardes a guardar os mandamentos e a arrepender-se. Esse é mais um detalhe muito presente nas igrejas do tempo da Reforma: a contaminação chegou ao extremo.
"Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecerás de modo algum em que hora virei contra ti."
Pelo fato das Igrejas da Reforma não haverem restaurado a sã doutrina e muito menos terem permanecido nela, no dia da Segunda Vinda de Cristo as mesmas serão pegas desprevenidas. É uma advertência seríssima do Senhor Jesus à Igreja de Sardes, porque a própria Palavra afirma que, para a verdadeira Igreja, o dia da Volta de Cristo não deve nos surpreender como ladrão, conforme 1 Tessalonicenses 5:1:
"Mas, irmãos, acerca dos tempos e das épocas não necessitais de que se vos escreva: porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite;"
"Tens, contudo, em Sardes, umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras e andarão de branco junto comigo, pois são dignas."
Mesmo na era da Reforma, havia muitos que eram fiéis a Deus. Mesmo com toda a contaminação e rituais religiosos pagãos esses tinham individualmente o Senhor Jesus como seu único Senhor e Salvador.
Jesus reconhece que esses não mancharam suas vestiduras com o pecado e promete dar a eles a vida eterna e garante que todos que assim se encontram andarão junto com Ele.
O desafio de Jesus Cristo à Igreja de Sardes
"O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas..."
Este é o desafio de Cristo à Igreja de Sardes. Jesus usa novamente a palavra vencedor, cuja base está em 1 João 5:4-5:
"Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?"
A cor branca na Bíblia significa a justiça de Deus. Ou seja, aos vencedores Jesus lhes revestirá de justiça divina. Somente em Cristo somos justificados diante de Deus Pai. Nunca somos justificados em nós mesmos. Em outras palavras, Ele limpa as nossas vestiduras, conforme está em 2 Coríntios 5:21:
"Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus."
"...e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos..."
O Livro da Vida contém o nome de todas as pessoas. Ao contrário do que muitos pensam, o nome de uma pessoa pode sim ser apagado do Livro da Vida. Significa que podemos perder a salvação se continuarmos uma vida de pecados sem querermos demonstrar verdadeiro arrependimento, mesmo após tendo aceitado Jesus como Senhor e Salvador. O próprio Jesus afirma aqui que existe a possibilidade de se apagar nomes do Livro da Vida.
Existem algumas razões que levam uma pessoa a ter seu nome apagado do Livro da Vida:
  1. Pecar contra Deus (Êxodo 32:33)
  2. Pecar contra o Espírito Santo (Marcos 3:29)
  3. Omitir ou alterar as palavras proféticas do livro de Apocalipse (Apocalipse 22:19)
Sem sombra de dúvidas, ter o nome apagado do Livro da Vida significa a morte eterna.
"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."
Ouvir é prestar extrema atenção às advertências e exortações de Jesus. Portanto, nós como seguidores de Cristo temos que saber ouvir o que o Espírito Santo nos diz, principalmente agora no Final dos Tempos. Que cada um de nós possa sempre pedir a Deus o espírito de sabedoria e revelação, pois é a única maneira de entendermos as coisas do Espírito, conforme Efésios 1:17:
"para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê o espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele;"

Fonte www.tempodofim.com

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

A IGREJA DE TIATIRA - A IGREJA PAGÃ (606 d.C. - TribulaÇÃo) Apocalipse 2:18-29



A IGREJA DE TIATIRA - A IGREJA PAGÃ (606 d.C. - TribulaÇÃo)
Apocalipse 2:18-29

 

  1. Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Estas coisas diz o Filho de Deus, que tem os olhos como chama de fogo e os pés semelhantes ao bronze polido:
  2. Conheço as tuas obras, o teu amor, a tua fé, o teu serviço, a tua perseverança e as tuas últimas obras, mais numerosas do que as primeiras.
  3. Tenho, porém, contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas a ídolos.
  4. Dei-lhe tempo para que se arrependesse; ela, todavia, não quer arrepender-se da sua prostituição.
  5. Eis que a prostro de cama, bem como em grande tribulação os que com ela adulteram, caso não se arrependam das obras que ela incita.
  6. Matarei os seus filhos, e todas as igrejas conhecerão que eu sou aquele que sonda mentes e corações, e vos darei a cada um segundo as vossas obras.
  7. Digo, todavia, a vós outros, os demais de Tiatira, a tantos quantos não têm essa doutrina e que não conheceram, como eles dizem, as coisas profundas de Satanás: Outra carga não jogarei sobre vós;
  8. tão-somente conservai o que tendes, até que eu venha.
  9. Ao vencedor, que guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações,
  10. e com cetro de ferro as regerá e as reduzirá a pedaços como se fossem objetos de barro;
  11. assim como também eu recebi de meu Pai, dar-lhe-ei ainda a estrela da manhã.
  12. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Segundo os indícios históricos, Alexandre Magno foi o provável fundador da cidade de Tiatira, em aproximadamente 300 a.C. Situada na Macedônia, era uma cidade rica e conhecida no mundo antigo por suas telas tingidas de tintas em cores vivas. Em Atos 16:14 existe também um indício de que Lídia foi uma das responsáveis pela evangelização de Tiatira, pois respondeu à mensagem de Paulo, quando ele se encontrava em Filipos.

Perfil da Igreja de Tiatira

A Igreja de Tiatira tem como uma de suas características o foco maior nas obras das mãos dos homens do que a crença na sã doutrina. Além disso, Jesus repreende essa igreja por ela permitir o ensino de heresias e falsas doutrinas.
A Igreja de Tiatira representa também o período histórico chamado de Idade das Trevas, que compreendeu o período de 606 d.C. a 1517 d.C. "Trevas" significa que durante esse período, se acentuou muito o paganismo dentro do Cristianismo, continuando processo de contaminação iniciado por Satanás no período histórico da Igreja representado pela Igreja de Pérgamo.
A luz que Jesus Cristo confiou à Igreja se extinguiu por muito tempo e não apareceu mais até a Reforma, promovida por Martinho Lutero, em 31 de outubro de 1517. Como continuação do paganismo iniciado no perído que compreende a Igreja de Pérgamo, algumas das seguintes doutrinas pagãs passam a ser introduzidas no Cristianismo:
607 d.C. Bonifácio III é nomeado o primeiro Papa
709 d.C. Os fiéis passam a beijar os pés do Papa
786 d.C. Começa a adoração a imagens e relíquias
850 d.C. Começa o uso da "água benta"
995 d.C. Começa a canonização dos santos que morreram
998 d.C. Começa o jejum às sextas-feiras e no período de quaresma
1090 d.C. Começa-se a rezar o rosário
1184 d.C. Começa a inquisição
1190 d.C. Vendem-se as indulgências
1220 d.C. Adoração à hóstia
1229 d.C. Proibição do povo de ler a Bíblia (somente sacerdotes poderiam lê-la)
1414 d.C. O povo é proibido de participar da ceia durante a comunhão
1439 d.C. Decretada a doutrina do purgatório
1546 d.C. Os livros apócrifos são inseridos na Bíblia
1870 d.C. Proclamada a infalibilidade do Papa (o Papa passa a ser um homem que jamais se engana)
O nome "Tiatira" é originário de duas palavras que significam sacrifício e contínuo. Ou seja, a Igreja, agora com sua sede em Roma, nega a doutrina da salvação por meio de Jesus Cristo e promove a heresia do sacrifício contínuo para se adquirir a salvação e purificação dos pecados, o que envolve penitências, indulgências, obras das próprias mãos (como pagamento de promessas) - todas idéias satânicas que o próprio Senhor Jesus classifica como sendo "coisas profundas de Satanás" (Apocalipse 2:24).
Todas essas práticas pagãs vieram da Babilônia. Satanás fez exatamente a mesma coisa nos costumes religiosos dos babilônicos. Somente se trocavam os nomes dos deuses e das práticas. Não é à toa que Jesus se refere à Babilônia como "mãe das meretrizes e das abominações da terra" (Apocalipse 17:6).
Em contrapartida, é também extremamente importante comentar o fato de que o paganismo acentuado em 606 d.C. continua até hoje em muitas igrejas (inclusive em muitas igrejas que se denominam evangélicas), por isso consideramos que o período representado pela Igreja de Tiatira começa em 606 d.C. e se estenderá até a Tribulação. Obviamente, uma igreja pagã e contaminada não subirá no dia do Arrebatamento e continuará presente até que se inicie a Tribulação, quando o anticristo então elegerá o falso profeta como o regente de uma religião mundial (única e falsa), unindo todo paganismo possível mascarando uma adoração ao próprio Satanás.


"Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Estas coisas diz o Filho de Deus..."
Jesus escolhe aqui o título de Filho de Deus, que é superior ao título escolhido em Apocalipse 1:13 quando se denomina Filho do Homem. Jesus escolhe esse título ao falar com a Igreja de Tiatira por causa do paganismo deles, que pregavam Jesus como humano e desprezavam Sua natureza divina. O final dos tempos é marcado por vários falsos mestres que ensinam que Jesus Cristo seria apenas humano, negando sua natureza divina.
"...que tem os olhos como chama de fogo e os pés semelhantes ao bronze polido:"
Jesus descreve o seu corpo glorificado pela seguinte razão: é assim que Ele virá em sua Segunda Vinda, e virá para julgar as nações. Portanto, ao se revelar assim à Igreja de Tiatira, significa que Jesus olhará para essa Igreja com extremo juízo porque ela permitiu a infiltração de falsas doutrinas dentro de si, ensinando-as aos servos Dele (Apocalipse 2:20).
"Conheço as tuas obras, o teu amor, a tua fé, o teu serviço, a tua perseverança e as tuas últimas obras, mais numerosas do que as primeiras."
Jesus aqui faz elogios à Igreja de Tiatira em seis aspectos:
  1. Suas obras: Apesar de tal período que a Igreja passava, com sua sede em Roma, muitos de seus membros ainda sim serviram fielmente a Jesus Cristo
  2. Seu amor: Poucos sabem, mas nos tempos antigos, locais como sanatórios e hospitais eram visitados somente por membros da Igreja. Jesus reconhece esse esforço como sendo o amor que muitos membros dessa Igreja tinham pelas pessoas
  3. Sua fé: Ainda sim, mesmo permitindo a infiltração de doutrinas pagãs, muitos membros da Igreja de Tiatira tinham fé em Jesus Cristo, e assim Ele a reconhece
  4. Seu serviço: significa o ministério da Igreja de Tiatira. A Igreja ainda sim servia à população
  5. Sua perseverança: Mesmo sabendo que a Igreja de Roma ocupou um largo período de tempo até a Reforma de Lutero, muitos membros perseveraram na fé e Jesus reconhece isso, o que mostra que Jesus olha individualmente para cada membro, provando mais uma vez que a salvação é individual
  6. Suas últimas obras, mais numerosas do que as primeiras: apesar do período de Inquisição ter acontecido nessa época representada pela Igreja de Tiatira, Jesus reconhece também as boas obras de muitos membros da igreja romana.
"Tenho, porém, contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas a ídolos."
Por outro lado, Jesus severamente condena a Igreja de Tiatira pelo fato deles cometerem imoralidades sexuais e comerem alimentos sacrificados a ídolos, resultado do ensinamento falso promovido pelo principado satânico denominado espírito de Jezabel.
No livro de 1 Reis, Jezabel era a esposa do rei Acabe, e perseguiu Elias. As características principais da rainha Jezabel eram o autoritarismo, a manipulação e a insubmissão ao marido. Jezabel tomava as decisões por si e jamais respeitava o marido como sacerdote da nação israelita. Jezabel introduziu o culto a Baal na época de Elias. Portanto, havia um poder maligno, um demônio, por trás da autoridade da rainha Jezabel que denominamos principado (Efésios 6:12). Na Igreja de Tiatira, sem dúvida havia um espírito maligno debaixo da hierarquia do principado de Jezabel regendo a falsa religião, o que a Bíblia chama de governador deste mundo tenebroso (no grego kosmokrator) que é mencionado em Efésios 6:12. A função do kosmokrator é reger uma falsa religião dominando as populações.
O espírito de Jezabel regia o culto a Baal, provocando contaminações ao povo que o seguia como, por exemplo, a prática de prostituição e alimentação de coisas sacrificadas a ídolos. Obviamente, tais práticas são altamente condenadas pela Palavra de Deus.
"Dei-lhe tempo para que se arrependesse; ela, todavia, não quer arrepender-se da sua prostituição."
Jesus aqui relata que já deu inúmeras oportunidades para essa igreja se arrepender de suas práticas pecaminosas, mas conforme diz o versículo, mas ela não quis se arrepender.
"Eis que a prostro de cama, bem como em grande tribulação os que com ela adulteram, caso não se arrependam das obras que ela incita."
Jesus alerta que todos aqueles que se deixam convencer pela doutrina falsa dessa igreja passarão por grande tribulação. Em outras palavras, tais seguidores da falsa igreja não serão arrebatados e passarão pela Tribulação. Sem dúvida, esses seguidores não subirão no dia do Arrebatamento. Portanto, arrependimento e santificação é fundamental para tal igreja.
"Matarei os seus filhos, e todas as igrejas conhecerão que eu sou aquele que sonda mentes e corações, e vos darei a cada um segundo as vossas obras."
A morte aqui expressada por Jesus não significa a morte física, mas a segunda morte, cujo destino é lançar todos os incrédulos no lago de fogo, conforme Apocalipse 20:15.
Também é uma referência ao Julgamento do Grande Trono Branco, quando aqueles que não receberam Jesus comparecerão diante Dele para serem julgados por suas obras, de acordo com Apocalipse 20:11-15.
"Digo, todavia, a vós outros, os demais de Tiatira, a tantos quantos não têm essa doutrina e que não conheceram, como eles dizem, as coisas profundas de Satanás: Outra carga não jogarei sobre vós; tão-somente conservai o que tendes, até que eu venha."
O conselho de Jesus Cristo vai para aqueles que, apesar de fazerem parte da Igreja de Tiatira, não aceitaram e tampouco seguiram suas falsas doutrinas. Jesus promete aliviá-los, reconhece a fidelidade destes e os aconselha a permanecerem assim até o fim.
"Ao vencedor, que guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações,e com cetro de ferro as regerá e as reduzirá a pedaços como se fossem objetos de barro; assim como também eu recebi de meu Pai, dar-lhe-ei ainda a estrela da manhã. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."
Há dois aspectos do desafio de Cristo à Igreja de Tiatira:
  1. Ao vencedor, dará a ele autoridade sobre as nações, o que significa que reinará com Jesus durante o Milênio;
  2. Dará ainda a estrela da manhã, que está muito claro em Apocalipse 22:16 ser um dos títulos de Jesus Cristo. Ou seja, Jesus vem morar naquele que é vencedor. Em 1 João 5:1-4 a Palavra diz que todo aquele que é vencedor é aquele que crê que Jesus é o Cristo, o Ungido.
fonte www.tempodofim.com

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A IGREJA DE PÉRGAMO - A IGREJA DO ESTADO (312 - 606 d.C) Apocalipse 2:12-17


  1. Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada de dois gumes:
  2. Conheço o lugar que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita.
  3. Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição.
  4. Outrossim, também tu tens os que da mesma forma sustentam a doutrina dos nicolaítas.
  5. Portanto, arrepende-te; e, se não, venho a ti sem demora e contra eles pelejarei com a espada de minha boca.
  6. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.
A igreja de Pérgamo existiu realmente no século I, mas era contaminada com outros costumes não bíblicos, e representa a época em que a Igreja Cristã sofreu um processo de contaminação, entre 312 d.C. e 606 d.C.
Pérgamo era a capital da Ásia até o final do século I. Era uma cidade entreugue à adoração a vários ídolos gregos, com grande predominância na adoração a Baco (deus da diversão) e a Asclépios (deus da sanidade). Em vista disto, o governador romano local tinha grandes dificuldades em conduzir as inúmeras diferenças religiosas presentes na cidade.
Outro fator importante presente em Pérgamo é o fato da cidade ser considerada como trono de Satanás, segundo Jesus Cristo. Falaremos disto logo mais adiante, ao explicar o versículo 13.

Perfil da Igreja de PÉrgamo

Vimos, ao estudar a Igreja de Esmirna, que Satanás usou de sua primeira estratégia para banir os cristãos da face da terra: a perseguição. Porém, Satanás aprendeu que, quanto mais perseguia os cristãos, mais a Igreja prosperava e permanecia. Portanto, perseguir não foi uma estratégia bem sucedida por parte do inimigo.
Agora Satanás muda a estratégia, e dá um golpe muito forte, e infelizmente de muita inteligência: Satanás passa a contaminar a Igreja para tentar extingui-la. Depois das perseguições implacáveis, porém sem êxito, promovidas pelo imperador Diocleciano, entra em cena um novo imperador romano: Constantino.
Constantino se sentiu atraído pelo Cristianismo, tanto que aceitou a fé cristã e se declarou seu defensor e protetor. Logo após assumir o poder, emitiu um edito de tolerância ao Cristianismo e passou a favorecer financeiramente a Igreja Cristã. Ele também determinou que os templos a deuses pagãos agora pertenceriam também à Igreja. Aparentemente tudo bem. A perseguição cessa. Mas é exatamente aqui que Satanás começa a contaminar a Igreja.
Satanás sabia muito bem que se juntasse poder religioso com poder político, o resultado seria o controle das massas. Vimos isto na figura dos faraós do Egito, nos líderes da Babilônia, nos caldeus etc. A Bíblia está repleta de povos que ficavam sob o controle do inimigo através de teofania, de adoração a deuses pagãos, etc.
Por conta do favorecimento financeiro que Constantino fornecia à Igreja, os líderes locais passam a "agradar" ao imperador e, para mostrar paz e tolerância para com os povos que cultuavam deuses pagãos, começam também a introduzir costumes pagãos dentro da Igreja. Tudo para não perderem a ajuda financeira vinda do imperador (parece que o "mensalão" começou aí!).
Com isto, a Igreja Cristã passa a ser contaminada e perde sua autenticidade diante de Deus. Romanos e gregos eram politeístas e cultuavam aos mesmos deuses. somente com nomes gregos ou romanos. Esta cultura politeísta, por causa do agrado ao imperador, começa a invadir a Igreja, e passam a ser cultuados em forma de santos e anjos - doutrinas não bíblicas. Introduzem-se então vários costumes pagãos na Igreja neste período, entre eles:
300 d.C. Oração pelos mortos
375 d.C. Adoração a santos e anjos
431 d.C. Adoração a Maria
500 d.C Os sacerdotes passam a se vestir diferentemente do resto do povo
526 d.C. Extrema unção
593 d.C. Instituída a doutrina do purgatório
600 d.C. Os cultos só podem ser realizados em latim
Tais fatos históricos, baseados em documentos de pesquisa, revelam a estratégia de Satanás ao longo da história da Igreja, que sempre foi exterminar o Cristianismo - obviamente que ás não conseguiu tal intento.
Satanás uniu os poderes político e religioso mais uma vez e passa novamente a controlar as massas. Quando o Estado passou a controlar a Igreja, o evangelismo, a consagração a Deus, o fervor no Espírito sumiram. Estava estabelecida a contaminação. A Igreja então começa a enriquecer financeiramente e se tornar poderosa politicamente, e o povo da época acreditava que tal fato faria com que a Igreja seria melhor a cada dia.
"Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada de dois gumes:"
Aqui Jesus se refere a si mesmo como sendo a Palavra de Deus. Ele assim se revela por causa do pecado de contaminação sofrido pela Igreja de Pérgamo, que somente se solucionaria aplicando a genuína Palavra.
"Conheço o lugar que habitas, onde está o trono de Satanás..."
Satanás possui um trono. Jesus diz duas vezes que o trono de Satanás se localizava na cidade de Pérgamo. O trono de Satanás é rotativo, ou seja, sempre se situará na nação, continente ou cidade onde ele consegue estabelecer seu poderio de destruição. O trono de Satanás já esteve no Egito, na Babilônia; sempre em lugares onde encontra legalidade para agir. No caso de Pérgamo, a legalidade estava na idolatria excessiva da cidade. Segundo o satanismo moderno, hoje o trono de Satanás estaria situado nos Estados Unidos, porque é a nação mais rica do mundo e aos poucos está deixando de ser um país de maioria cristã para se voltar à práticas de Nova Era e bruxaria.
"e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita."
Jesus elogia a Igreja de Pérgamo por resistir e pagar um preço alto, mesmo se situando no local onde Satanás tinha o seu trono. Do ponto de vista de doutrina, os membros da Igreja de Pérgamo eram puros. O problema surgiu nas práticas pagãs que foram sendo assimiladas pelos membros mesmo que inconscientemente, provocando a contaminação. Obviamente, Satanás jamais quer ser percebido ao longo da história como sendo o responsável pela contaminação. Quanto a Antipas, nada se sabe de dados históricos a respeito desta pessoa.
"Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição."
Aqui Jesus evidencia que, apesar da Igreja de Pérgamo ter uma doutrina correta, suas práticas eram todas condenáveis à luz da Bíblia.
Em Números 22:31, A Bíblia nos diz quem é Balaão - homem ganancioso, que tentou profetizar uma maldição contra o povo de Israel. Balaque, rei de Moabe, o contratou para usar seus dons proféticos contra o povo de Deus. O resultado foi inusitado: Deus usa Balaão para bendizer Israel e não amaldiçoar. Balaão, desesperado, sugere por fim a Balaque uma aliança entre Israel e Moabe, fazendo com que os israelitas de casassem com mulheres moabitas, o que era condenado por Deus (Deuteronômio 7:1-6). É neste ponto que reside a contaminação e por isto Balaão é citado neste versículo.
"Outrossim, também tu tens os que da mesma forma sustentam a doutrina dos nicolaítas."
A palavra "nicolaíta" vem da junção de duas palavras gregas:
  • niko - conquistador
  • laos - povo
Significa, então, que o objetivo dos nicolaítas era conquistar o povo, centrar os princípios da igreja nos homens, e não em Deus. Os nicolaítas praticavam a sensualidade, separando completamente a natureza física da espiritual, abrindo falsa justificativa para, ao mesmo tempo se poder pecar livremente, e estabelecer uma hierarquia eclesiástica dentro da igreja. Ao contrário da Igreja de Éfeso, a Igreja de Pérgamo se deixou levar por esta doutrina pagã.
"Portanto, arrepende-te; e, se não, venho a ti sem demora e contra eles pelejarei com a espada de minha boca."
Este é o conselho de Cristo para a Igreja de Pérgamo: arrepender-se imediatamente. É o princípio de arrependimento tanto ao nível de Igreja como no nível individual. O conselho de Jesus aqui reflete o que está em 1 Coríntios 11:31:
"Porque, se nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados."
Em outras palavras, se nos examinássemos a nós mesmos constantemente, não correríamos o risco de sermos julgados por Deus, porque estaríamos sempre nos vigiando para não sairmos do centro da vontade de Deus.
"Quem tem ouvidos para ouvir, ouça: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe."
Este é o desafio de Cristo à Igreja de Pérgamo. Jesus se dirige aos vencedores (1 João 5:4):
"porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé."
Jesus dá aos vencedores o maná escondido e uma pedrinha branca. O maná era o alimento espiritual que Deus enviava a Israel no deserto. O maná escondido representa o alimento espiritual que vem pela Palavra de Deus. Neste versículo Jesus diz claramente que somente os vencedores têm tal direito, ou seja, este maná é individual, não coletivo.
Sobre a pedrinha branca, o significado é um pouco mais complexo: a cor branca na Bíblia significa a justiça de Deus. Nos tempos antigos, nos tribunais, quando alguém era julgado, o jurado deixava cair uma pedra branca para dizer que absolvia o réu de qualquer culpa. Da mesma forma, como em Romanos 5.1, somos justificados pela fé e absolvidos eternamente de toda culpa através da salvação em Jesus Cristo. A pedrinha branca aqui é um símbolo que representa a absolvição da culpa gerada pelo pecado mediante a salvação em Cristo Jesus. 
fonte www.tempodofim.com

sábado, 21 de janeiro de 2012

A IGREJA DE ESMIRNA - A IGREJA PERSEGUIDA (100 - 312 d.C) Apocalipse 2:8-11


  1. Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto e reviveu:
  2. Conheço a tua tribulação e a tua pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que dizem ser judeus, e não o são, porém são sinagoga de Satanás.
  3. Não temas o que hás de padecer. Eis que o Diabo está para lançar alguns de vós na prisão, para que sejais provados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida.
  4. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz ó igrejas. O que vencer, de modo algum sofrerá o dano da segunda morte.
A cidade de Esmirna foi fundada em cerca de 3 a.C. por Alexandre Magno. A cidade era considerada o centro comercial da Ásia menor e se situava como ponto estratégico da rota direta de todo comércio que fluía entre Roma, Pérsia e Índia. Portanto, a cidade era considerada muito rica na época em que sua igreja é citada no livro de Apocalipse.

Perfil da Igreja de Esmirna

Historicamente falando, pouco se sabe sobre a Igreja de Esmirna, mas o que se sabe ao certo é que foi uma igreja que permaneceu fiel em meio à perseguição implacável dos imperadores romanos.
Comparando a igreja de Esmirna com os períodos históricos pelos quais passou a igreja de Jesus Cristo, ela corresponde ao período de 100 a 312 d.C. (clique aqui para detalhes), quando sofreu intensa perseguição dos imperadores romanos que tinham o objetivo de banir o Cristianismo da face da terra. Foi talvez a maior perseguição sofrida pela Igreja de Jesus Cristo até os dias de hoje. Atribui-se, então, à igreja de Esmirna o título de igreja perseguida.
Revela-se aqui, a primeira estratégia de Satanás para freiar e destruir o Cristianismo: a perseguição. No período de 30 d.C. a 100 d.C., vimos através da igreja apostólica, representada pela igreja de Éfeso, que ela era eficiente: pregou o evangelho por toda a Ásia, era fiel a Cristo. Os membros amavam mais a Cristo do que suas próprias vidas - uma lição para a igreja atual!
Porém, Satanás aprendeu que quanto mais perseguia a igreja, mais ela crescia! Portanto, a estratégia da perseguição falhou, de início. Veremos, no estudo sobre a igreja de Pérgamo, que Satanás muda sua estratégia e infelizmente dá um golpe de mestre no Cristianismo: ele contamina a igreja Cristã, através do imperador Constantino, que se declarou cristão, mas fundiu as religiões politeístas (vários deuses) greco-romanas com o Cristianismo.
Tamanha era a perseguição sofrida no período representado pela igreja de Esmirna que a Igreja de Jesus Cristo sofreu oito dos dez períodos de perseguição por parte dos imperadores romanos. A tabela abaixo mostra que, fora os imperadores Nero e Domiciano, todos os outros perseguiram a Igreja de Jesus Cristo entre 100 e 312 d.C:
Nero 54-68 d.C. Decapitou Paulo e crucificou Pedro
Domiciano 81-96 d.C Exilou João na ilha de Patmos
Trajano 98-117 d.C.
Marco Aurélio 161-180 d.C.
Severo 193-211 d.C.
Maximino 235-238 d.C.
Décio 249-251 d.C.
Valeriano 253-260 d.C.
Aureliano 270-275 d.C.
Diocleciano 284-305 d.C.

Fonte: Apocalipsis sin velo. Autor: Tim Lahaye. Editorial Vida, 2000.

Apenas para se ter uma idéia de como Satanás usava os imperadores para matar cristãos, citaremos algumas atrocidades cometidas no período:
  • Nero fazia "cristãos-tocha", ou seja, amarrava cristãos em mastros no jardim de seu palácio e os queimava vivos em público
  • A maioria dos imperadores levaram centenas de cristãos à arena do anfiteatro de Roma para serem devorados por leões, o que era visto pela cidade toda como platéia
  • Diocleciano foi considerado o maior opositor do cristianismo. Ele assinou um decreto para se eliminar as escrituras bíblicas da face da terra. Muitas cidades faziam cerimônias públicas para incineração das primeiras Bíblias
  • Alguns dos imperadores queimavam cristãos em fogueiras
  • Outros eram ainda mais sanguinários: cubriam cristãos com peles de animais e os lançavam aos cães selvagens, que os devoravam até a morte.
Entretanto, nem assim Satanás conseguiu impedir a Igreja de Jesus Cristo de crescer

"Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto e reviveu:"
Aqui Jesus fala a respeito de sua Glória: o cordeiro de Deus, o primeiro e último, o alfa e o ômega, aquele que morreu na cruz, mas ressuscitou ao terceiro dia. O Rei dos reis, o Senhor dos senhores.
"Conheço a tua tribulação e a tua pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que dizem ser judeus, e não o são, porém são sinagoga de Satanás."
Jesus reconhece que é uma a igreja perseguida mas que permaneceu fiel.
Quando Jesus diz "mas tu és rico", muito provavelmente Ele diz que a igreja de Esmirna não sofreu somente uma perseguição física, mas também perseguição financeira. Como dissemos antes, Esmirna era uma cidade rica, mas bastava algum comerciante se declarar fiel a Jesus Cristo, que os outros comerciantes já não negociavam mais com ele. Porém, Jesus diz que a verdadeira riqueza não está no dinheiro, mas em ser fiel a Ele. Assim foi a igreja de Esmirna, fiel até mesmo diante de dificuldades financeiras. É a confirmação do que nos ordena Jesus em Mateus 6:33:
"Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."
Ainda nesse versículo, Jesus alerta dos falsos mestres que se introduziram na igreja de Esmirna se dizendo judeus, mas que na verdade eram servos de Satanás que tentavam introduzir falsas doutrinas (blasfêmias) na tentativa de contaminar a igreja. Percebam aqui como Satanás já tenta contaminar a igreja além de persegui-la.
"Não temas o que hás de padecer. Eis que o Diabo está para lançar alguns de vós na prisão, para que sejais provados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida."
Nesse versículo, Jesus prediz que haverá perseguição contra sua Igreja por parte de Satanás, mas Ele diz que temos que permanecer fiéis a Ele mesmo durante a perseguição. Jesus nos dá a coroa da vida à cada vitória que temos sobre a perseguição.
A perseguição não era somente algo da época citada nesse estudo. Ela permanece até hoje. A Missão Portas Abertas (www.portasabertas.org.br) relata inúmeras perseguições tão bárbaras quanto às dos imperadores romanos, mas agora em pleno século XXI. Por isso a carta à igreja de Esmirna é também endereçada a nós. Saibam que Jesus vê e reconhece cada esforço seu para lutar contra a perseguição satânica. O papel da Igreja de Jesus Cristo é, através da sujeição a Deus, oferecer resistência a Satanás e seu exército inimigo, conforme Tiago 4:7:
"Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós."
É muito importante você saber que não é possível resistir ao diabo sem se sujeitar à obediência a Deus. Pense e reflita nisso!
"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz ó igrejas. O que vencer, de modo algum sofrerá o dano da segunda morte."
Ao que permanecer fiel e obediente a Deus em meio à perseguição, Jesus garante que não sofrerá a segunda morte.
A morte física é a primeira morte. O que é então a segunda morte? É a morte espiritual, a eterna separação de Deus, conforme está em Apocalipse 20:14:
"E a morte e o hades foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo."
Todo aquele que não aceita Jesus em vida, ainda aqui na terra, e morre, depois sofrerá ainda a segunda morte, ou seja, será atirado no lago de fogo e enxofre. Esse lago foi feito para Satanás e seus demônios, mas todo ser humano que recusar-se em seguir a Cristo, infelizmente terá parte na segunda morte, sendo assim separado eternamente de Deus. Lembre-se que Deus é justo. Ele respeita nosso livre arbítrio de querer segui-lo ou não. É nossa opção querer segui-Lo em obediência e santidade, ou recusá-Lo.




FONTE WWW.TEMPODOFIM.COM

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Biochip Implantável 1

Biochip Implantável 2

Características do anticristo

A IGREJA DE ÉFESO - A IGREJA APOSTÓLICA (30 - 100 d.C) Apocalipse 2:1-7

http://1.bp.blogspot.com/-SLWaebKvs2Q/TmO4y1yNuOI/AAAAAAAAAQw/jO0KjI4YMYU/s1600/7+Igrejas+do+Apocalipse+-+Efeso.jpg


  1. Ao anjo da igreja de Éfeso escreve: Estas coisas diz aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro:
  2. Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos;
  3. e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer.
  4. Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.
  5. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.
  6. Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.
  7. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito Santo diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.
A igreja de Éfeso foi fundada por Paulo, ao final de sua segunda viagem missionária, conforme Atos 18:19-20:
"E chegou a Éfeso, e deixou-os ali; mas ele, entrando na sinagoga, disputava com os judeus. E, rogando-lhe eles que ficasse por mais algum tempo, não conveio nisso."

Esta igreja era situada na cidade de Éfeso, tida como uma cidade entregue à adoração da deusa Ártemis. A igreja de Éfeso é considerada uma das mais excelentes igrejas da época do Novo Testamento.

Perfil da Igreja de Éfeso

A Igreja de Éfeso é a única das sete igrejas, mencionadas em Apocalipse, que faz referências a apóstolos. Esta é a razão pela qual a mensagem Jesus Cristo se dedica a todas as igrejas apostólicas do século I, e não somente a esta igreja. Por esta razão, a igreja de Éfeso é considerada a igreja apostólica ou igreja primitiva.
O período efésio, ou apostólico, iniciou desde o dia de Pentecostes (perto do ano 30 d.C) e durou até 100 d.C.
O nome "Éfeso" quer dizer "desejado". Portanto, esta era e é a igreja desejada pelo Senhor Jesus. É assim que devemos trabalhar para tornar nossas igrejas tão desejadas como a de Éfeso.
A igreja de Éfeso pregou o evangelho por todo o mundo, conforme Romanos 10:18:
"Mas digo: Porventura não ouviram? Sim, por certo, pois Por toda a terra saiu a voz deles, E as suas palavras até aos confins do mundo."
A igreja primitiva conseguiu propagar o evangelho de uma maneira fenomenal, e há um detalhe muito importante a ser citado: este êxito se deve ao ministério de judeus convertidos. Hoje, a igreja, ao redor do mundo, é composta também por não-judeus.
E mesmo assim, considerando os meios de comunicação poderosos existentes hoje, ainda se perde em eficiência na propagação do evangelho, se comparado à igreja primitiva.
"Ao anjo da igreja de Éfeso escreve: Estas coisas diz aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro: "
Jesus fala a João em sua visão, e caminha entre os sete candeeiros de ouro, ou seja, caminha entre as sete igrejas. Jesus está sempre à disposição da igreja.
Os elogios de Jesus Cristo à Igreja de Éfeso
  • A igreja de Éfeso é uma igreja trabalhadora
" Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança..."
Quando servimos a Jesus Cristo, estamos trabalhando para Ele. É uma tarefa muito gratificante, mas acima de tudo é uma tarefa de extrema responsabilidade, conforme Mateus 10:42:
"E qualquer que tiver dado só que seja um copo de água fria a um destes pequenos, em nome de discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão."
Jesus reconhece que a Igreja de Éfeso tem esta característica de servi-Lo com amor e dedicação. Este é um exemplo de qual comprometimento com Cristo que devemos trazer para nossas vidas. Se cada um de nós agir assim, estaremos acelerando a segunda vinda de Cristo. Jesus sempre reconhece a nossa dedicação a Ele (Mateus 10:39):
"Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de mim, achá-la-á"
  • A Igreja de Éfeso é separada por Deus
" ... e que não podes suportar homens maus..."
O termo "santo" significa "separado". E esta característica da igreja de Éfeso chama muito a atenção, porque mostra que ela não suportava os maus cristãos. Ou seja, aqueles que não serviram a Jesus Cristo com seriedade, não eram realmente santos, não eram considerados membros genuínos da igreja primitiva. A Igreja de Éfeso seguia seriamente a ordem dada pelo Espírito Santo de Deus, em Romanos 16:17:
"E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escándalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles."
Portanto, toda igreja jamais deverá perder a seriedade e o compromisso com a Palavra de Deus.
  • A igreja de Éfeso é uma igreja pura em servir a Deus
" ... e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos;"
A igreja de Jesus Cristo deve prestar muita atenção a esta mensagem, porque muitos falsos apóstolos, disfarçados de servos, vão de igreja em igreja, semeando a divisão, a destruição e estão a serviço de Satanás. São inimigos de Cristo. Preste atenção ao que Jesus disse em Mateus 13:38:
"O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno."
Estamos vivendo um "modismo" em igrejas atuais onde somente se prega a prosperidade financeira. Infelizmente, alguns líderes de Igreja se aproveitam do evangelho para literalmente extorquir dinheiro dos membros.
Muito cuidado! Obviamente, Deus quer nossa prosperidade financeira, mas acima de tudo, Deus quer o nosso compromisso em servi-Lo de maneira completa, plena. Deus quer comprometimento, seriedade de nossa parte. Ele quer que O busquemos pelo que Ele é, não somente pelo que Ele pode fazer para resolver nossos problemas. Estamos centralizando o evangelho em nós, ao invés de centralizá-lo em Deus, o que é muito grave.
Isto é um dos problemas que afasta a Igreja atual do povo de Deus, o que caracteriza a Igreja de Laodicéia, ou a igreja apóstata (afastada de Deus), que estudaremos mais adiante. Esta característica da igreja atual tende a aumentar até a segunda vinda do Senhor Jesus.
  • A igreja de Éfeso é uma igreja sofrida por causa do nome de Jesus Cristo
" e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer."
Este versículo deixa claro que a igreja de Éfeso pagou um preço alto por ser fiel em cumprir à risca o que Jesus determinou em Marcos 16:15:
"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura."
Mesmo assim, Jesus reconhece e elogia a perseverança e a fidelidade da igreja primitiva em seguir seus mandamentos. A Igreja de Éfeso não desanimou em nenhum momento.
  • A igreja de Éfeso é uma igreja que tem a MESMA visão de Jesus Cristo
" Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio."
A palavra "nicolaíta" vem da junção de duas palavras gregas:
    • niko - conquistador
    • laos - povo
Significa, então, que o objetivo dos nicolaítas era conquistar o povo, centrar os princípios da igreja nos homens, e não em Deus. Os nicolaítas praticavam a sensualidade, separando completamente a natureza física da espiritual, abrindo falsa justificativa para, ao mesmo tempo se poder pecar livremente, e estabelecer uma hierarquia eclesiástica dentro da igreja.
Isto obviamente era abominável aos olhos de Jesus. E Jesus reconhecia e concordava com a Igreja de Éfeso a respeito deste fato. Se compararmos as atitudes dos nicolaítas com a igreja atual, vemos que este fenômeno ainda continua, e com muito mais força. A igreja de Pérgamo aceitou nicolaísmo como normal (Apocalipse 2:15):
"Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio."
Existe uma grande preocupação em várias igrejas atuais em se estabelecer uma hierarquia eclesiástica, para se justificar o pecado como sendo normal e aceitável.

A condenação de Cristo à Igreja de Éfeso
" Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor."
Jesus aponta apenas esta condenação à Igreja de Éfeso: o fato dela ter se afastado da originalidade do amor verdadeiro a Jesus Cristo. Eles amavam muito a Jesus, porém, foi perdendo a espontaneidade do chamado "primeiro amor", ou o verdadeiro amor a Jesus.
A essência da vida cristã está exatamente na experiência do primeiro amor. Quando este primeiro amor começa a se transformar em rotina diária, é um sinal de alerta de que a verdadeira experiência cristã está se esfriando. O segredo é fazer o efeito do primeiro amor permanecer em nossas vidas.
O conselho de Jesus Cristo à Igreja de Éfeso
"Lembra-te, pois, de onde caíste..."
Jesus alerta a Igreja de Éfeso para que ela se recorde do ponto onde o primeiro amor esfriou. Este é um conselho também para nós, para que possamos detectar os pontos que nos afastam da comunhão verdadeira com Deus.
"arrepende-te..."
Sempre que caímos, a atitude que Jesus espera de nós é que reconheçamos a nossa falha e nos arrependamos, para que Ele possa nos perdoar e nos levantar novamente. Também é este o conselho de Jesus à Igreja de Éfeso.
"e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas."
Cristo aconselha à igreja primitiva que a mesma volte a praticar as obras que a reconheça como a igreja "desejada" Dele. Jesus nos dá este mandamento em João 14:15:
"Se me amais, guardai os meus mandamentos."
O desafio de Jesus Cristo à Igreja de Éfeso
" Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito Santo diz às igrejas:"
O desejo de Cristo é que sejamos cristãos sensíveis ao que o Espírito Santo tem a nos dizer. Além disto, o desafio de Cristo é que sejamos praticantes da Palavra, além de ouvintes (Tiago 1:22):
"E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos."
" Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus."
A árvore da vida, é sem dúvida, a mesma que Deus havia proibido Adão e Eva logo depois de pecarem. Ela simboliza a vida eterna, a qual está destinada a todos que colocam sua confiança no Senhor (Apocalipse 22:2):
"No meio da sua praça, e de um e de outro lado do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a saúde das nações."
Jesus menciona "ao vencedor...". E quem são os vencedores? A resposta está em 1 João 5:4-5:
"Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?"

FONTE http://www.tempodofim.com/